Josias: Na prática, STF impõe a Aécio rotina de preso

Para o colunista Josias de Souza, a decisão do STF que afastou o senador Aécio Neves (PSDB) e determinou seu recolhimento noturno, "na prática, o STF impôs a Aécio uma rotina de preso"; o afastamento de Aécio do mandato "oferece ao PSDB uma nova oportunidade para se livrar de um filiado tóxico, diz o jornalista; "Mas o partido não deve aproveitar. O tucanato não costuma perder a oportunidade de perder oportunidades"

Josias de Souza
Josias de Souza (Foto: Charles Nisz)

247 - O colunista de política do UOL, Josias de Souza comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal em afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato, além de determinar prisão domiciliar noturna e cassar o passaporte do tucano."Como classificar a decisão do Supremo? Medidas cautelares, eis o nome oficial. Mas pode chamar de prisão domiciliar. A única diferença é que o senador afastado não terá que arrastar uma tornozeleira eletrônica", escreve Josias.

Aécio só não pode ser chamado de preso porque a Constituição não permite a detenção de parlamentares senão em flagrante delito de crime inafiançável. As limitações impostas a Aécio são as mais duras que podiam ter sido aplicadas. "A decisão foi ruim para Temer e péssima para o PSDB. Aécio articulava à luz do dia para reduzir no PSDB o tamanho da bancada contrária ao sepultamento da segunda denúncia da PGR contra Temer", explica o colunista. 

Para Josias, o afastamento de Aécio do mandato "oferece ao PSDB uma nova oportunidade para se livrar de um filiado tóxico. Mas o partido não deve aproveitar. O tucanato não costuma perder a oportunidade de perder oportunidades". Confira a íntegra do texto de Josias de Souza aqui.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247