Josias: pressa de Temer não é por reformas, é por medo de delações

"O governo alega que o Brasil não pode perder tempo. É preciso cuidar de reformas como a da Previdência. É lorota. Deve-se a pressa de Temer ao medo do presidente de ser abalroado por novas delações", escreve o jornalista, citando Lúcio Funaro, Rodrigo Rocha Loures e Eduardo Cunha; "Temer vive a neurose do que está por vir", diz

"O governo alega que o Brasil não pode perder tempo. É preciso cuidar de reformas como a da Previdência. É lorota. Deve-se a pressa de Temer ao medo do presidente de ser abalroado por novas delações", escreve o jornalista, citando Lúcio Funaro, Rodrigo Rocha Loures e Eduardo Cunha; "Temer vive a neurose do que está por vir", diz
"O governo alega que o Brasil não pode perder tempo. É preciso cuidar de reformas como a da Previdência. É lorota. Deve-se a pressa de Temer ao medo do presidente de ser abalroado por novas delações", escreve o jornalista, citando Lúcio Funaro, Rodrigo Rocha Loures e Eduardo Cunha; "Temer vive a neurose do que está por vir", diz (Foto: Gisele Federicce)

247 – O colunista Josias de Souza, em seu blog no UOL, rebate o argumento do Congresso e do governo federal para acelerar a votação da denúncia que chegará contra Michel Temer na Câmara dos Deputados.

O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prometeu uma tramitação rápida. "Não importa o teor da denúncia. O Planalto e seus aliados organizam um enterro relâmpago para a peça", lembra Josias.

"O governo alega que o Brasil não pode perder tempo. É preciso cuidar de reformas como a da Previdência. É lorota. Deve-se a pressa de Temer ao medo do presidente de ser abalroado por novas delações", rebate, citando Lúcio Funaro, Rodrigo Rocha Loures e Eduardo Cunha. "Temer vive a neurose do que está por vir", diz.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247