Josias: Temer não falou em Lava Jato, que atinge a cúpula do seu governo

"Temer esqueceu de mencionar — ou lembrou de omitir — duas palavras em seu discurso: Lava Jato", afirma o jornalista, para quem "o futuro de Temer cabe tudo, menos realidade"

"Temer esqueceu de mencionar — ou lembrou de omitir — duas palavras em seu discurso: Lava Jato", afirma o jornalista, para quem "o futuro de Temer cabe tudo, menos realidade"
"Temer esqueceu de mencionar — ou lembrou de omitir — duas palavras em seu discurso: Lava Jato", afirma o jornalista, para quem "o futuro de Temer cabe tudo, menos realidade" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Em uma análise sobre o pronunciamento de Michel Temer feito na véspera do Natal em rede nacional de televisão, o jornalista Josias de Souza observa que "Temer esqueceu de mencionar — ou lembrou de omitir — duas palavras em seu discurso: Lava Jato" (leia aqui).

"Em maio, quando assumiu provisoriamente a presidência da República, o mesmo orador dissera o seguinte: 'A Lava Jato tornou-se referência. E como tal deve ter prosseguimento e proteção contra qualquer tentativa de enfraquecê-la'. Pois bem, decorridos sete meses e várias tentativas frustradas de ''estancar a sangria'', os aliados de Temer estão presos ou sitiados por inquéritos. Num cenário assim, tão conturbado, o máximo que Temer poderia dizer seria algo como "o futuro a Deus Pertence", diz Josias.

Para o colunista do Uol, "o futuro de Temer cabe tudo, menos realidade". "Como qualquer outro futuro, o futuro do país de Temer é um espaço impreciso e impalpável. O presidente pode vender para si mesmo e para os brasileiros crédulos qualquer coisa, pois o futuro não pode ser cobrado nem conferido. Mas Temer poderia pelo menos ajustar o seu futuro à realidade do Banco Central, que reduziu de 1,3% para 0,8% sua expectativa de crescimento (pode me chamar de estagnação) do PIB para 2017", diz.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247