Kennedy: novo decreto de Temer sobre Amazônia mantém retrocesso

Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 29, que a decisão de Michel Temer de revogar parcialmente o decreto sobre a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca); segundo ele, é um recuo apenas aparente devido à repercussão negativa no Brasil e no exterior. "Continua de pé a decisão de permitir mineração na reserva amazônica", diz Kennedy; "Sem dúvida, ocorre um retrocesso ambiental em nome do apoio político necessário para o atual governo se sustentar no poder"

Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 29, que a decisão de Michel Temer de revogar parcialmente o decreto sobre a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca); segundo ele, é um recuo apenas aparente devido à repercussão negativa no Brasil e no exterior. "Continua de pé a decisão de permitir mineração na reserva amazônica", diz Kennedy; "Sem dúvida, ocorre um retrocesso ambiental em nome do apoio político necessário para o atual governo se sustentar no poder"
Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 29, que a decisão de Michel Temer de revogar parcialmente o decreto sobre a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca); segundo ele, é um recuo apenas aparente devido à repercussão negativa no Brasil e no exterior. "Continua de pé a decisão de permitir mineração na reserva amazônica", diz Kennedy; "Sem dúvida, ocorre um retrocesso ambiental em nome do apoio político necessário para o atual governo se sustentar no poder" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 29, que a decisão de Michel Temer de revogar parcialmente o decreto sobre a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (Renca).

Segundo Kennedy, é um recuo apenas aparente devido à repercussão negativa no Brasil e no exterior. "Continua de pé a decisão de permitir mineração na reserva amazônica", diz Kennedy. 

"Esse decreto é resultado dos lobbies das forças políticas que apoiam o governo no Congresso. O governo depende bastante da bancada ruralista e desses setores econômicos que pretendem explorar a Amazônia, seja ampliando a fronteira agrícola pela floresta, seja com atividades como mineração. Sem dúvida, ocorre um retrocesso ambiental em nome do apoio político necessário para o atual governo se sustentar no poder", afirma. 

Leia o texto na íntegra no Blog do Kennedy. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247