Kennedy: Odebrecht jogou pá de cal em Aécio 2018

Para o colunista Kennedy Alencar,  a revelação do ex-executivo da Odebrecht Benedicto Júnior de que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu e recebeu R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas do PSDB em 2014 "diminui ainda mais a autoridade moral dos tucanos para criticar a corrupção dos outros e desmonta as versões para encobrir a própria sujeira"; "O presidente do PSDB, que é o principal partido aliado do governo Temer, vai se enfraquecer politicamente. Ele dificilmente conseguirá ser candidato a Presidente pelo PSDB em 2018 - o tucano disputou o Palácio do Planalto em 2014 e perdeu", afirma Kennedy

Para o colunista Kennedy Alencar,  a revelação do ex-executivo da Odebrecht Benedicto Júnior de que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu e recebeu R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas do PSDB em 2014 "diminui ainda mais a autoridade moral dos tucanos para criticar a corrupção dos outros e desmonta as versões para encobrir a própria sujeira"; "O presidente do PSDB, que é o principal partido aliado do governo Temer, vai se enfraquecer politicamente. Ele dificilmente conseguirá ser candidato a Presidente pelo PSDB em 2018 - o tucano disputou o Palácio do Planalto em 2014 e perdeu", afirma Kennedy
Para o colunista Kennedy Alencar,  a revelação do ex-executivo da Odebrecht Benedicto Júnior de que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu e recebeu R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas do PSDB em 2014 "diminui ainda mais a autoridade moral dos tucanos para criticar a corrupção dos outros e desmonta as versões para encobrir a própria sujeira"; "O presidente do PSDB, que é o principal partido aliado do governo Temer, vai se enfraquecer politicamente. Ele dificilmente conseguirá ser candidato a Presidente pelo PSDB em 2018 - o tucano disputou o Palácio do Planalto em 2014 e perdeu", afirma Kennedy (Foto: Aquiles Lins)

247 - O colunista político Kennedy Alencar afirmou nesta sexta-feira, 3, que a revelação do delator Benedicto Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, de que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu e recebeu R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas do PSDB em 2014 "complicará a carreira política" do principal articulador do golpe parlamentar de 2016. 

"O presidente do PSDB, que é o principal partido aliado do governo Temer, vai se enfraquecer politicamente. Ele dificilmente conseguirá ser candidato a Presidente pelo PSDB em 2018 - o tucano disputou o Palácio do Planalto em 2014 e perdeu", afirma Kennedy.

"A revelação de BJ mostra que o PSDB agiu com hipocrisia ao propor essa ação e que teria usado método ilegal de arrecadação de recursos eleitorais, exatamente a acusação feita contra o PT. Ou seja, o episódio diminui ainda mais a autoridade moral dos tucanos para criticar a corrupção dos outros e desmonta as versões para encobrir a própria sujeira", critica Kennedy. 

O jornalista conta que lembra que, diante da revelação do delator da Odebrecht, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Janot pedirá a abertura de um inquérito para investigar o presidente do PSDB, que já responde por acusação de receber propina de Furnas, uma estatal elétrica.

"Apesar de Aécio negar irregularidades, a Lava Jato vem mostrando que políticos do PT, do PSDB e do PMDB beberam na mesma fonte da corrupção empresarial. A quebra dos sigilos das delações da Odebrecht não vai ferir apenas o PT, que já perdeu o poder, mas também peemedebistas e tucanos que derrubaram Dilma da Presidência."

Leia na íntegra o comentário de Kennedy Alencar. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247