Kotscho: Cunha só não pode reclamar que foi surpresa

Jornalista lembra que "Eduardo Cunha já tinha até uma mala pronta em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio, onde a Polícia Federal o procurou primeiro"; "Era o final previsto e anunciado para um fora da lei. Até que demorou demais, tantas eram as denúncias e acusações com provas por variados atos de corrupção que havia contra ele no Supremo Tribunal Federal", escreve Ricardo Kotscho

Jornalista lembra que "Eduardo Cunha já tinha até uma mala pronta em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio, onde a Polícia Federal o procurou primeiro"; "Era o final previsto e anunciado para um fora da lei. Até que demorou demais, tantas eram as denúncias e acusações com provas por variados atos de corrupção que havia contra ele no Supremo Tribunal Federal", escreve Ricardo Kotscho
Jornalista lembra que "Eduardo Cunha já tinha até uma mala pronta em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio, onde a Polícia Federal o procurou primeiro"; "Era o final previsto e anunciado para um fora da lei. Até que demorou demais, tantas eram as denúncias e acusações com provas por variados atos de corrupção que havia contra ele no Supremo Tribunal Federal", escreve Ricardo Kotscho (Foto: Gisele Federicce)

247 - O jornalista Ricardo Kotscho comenta em seu blog, sobre a prisão de Eduardo Cunha, que o deputado cassado só não pode reclamar de uma coisa: ter sido pego de surpresa.

Ele lembra que "Eduardo Cunha já tinha até uma mala pronta em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio, onde a Polícia Federal o procurou primeiro".

"Era o final previsto e anunciado para um fora da lei. Até que demorou demais, tantas eram as denúncias e acusações com provas por variados atos de corrupção que havia contra ele no Supremo Tribunal Federal", escreve Kotscho.

Ontem, o deputado Jorge Solla (PT-BA) afirmou que a prisão de Cunha foi um "jogo combinado" (leia aqui). 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247