Kotscho: há muito tempo não se via reação como essa diante da execução de Marielle

"Há muito tempo não se via uma reação tão forte como essa diante da brutal execução de quem denunciava a violência policial e o motorista que a conduzia no Estácio, quando o carro foi alvejado por nove tiros. Em poucas horas do dia, tudo mudou", escreve o jornalista Ricardo Kotscho

"Há muito tempo não se via uma reação tão forte como essa diante da brutal execução de quem denunciava a violência policial e o motorista que a conduzia no Estácio, quando o carro foi alvejado por nove tiros. Em poucas horas do dia, tudo mudou", escreve o jornalista Ricardo Kotscho
"Há muito tempo não se via uma reação tão forte como essa diante da brutal execução de quem denunciava a violência policial e o motorista que a conduzia no Estácio, quando o carro foi alvejado por nove tiros. Em poucas horas do dia, tudo mudou", escreve o jornalista Ricardo Kotscho (Foto: Gisele Federicce)

Por Ricardo Kotscho - "Luto pelo Brasil" é uma das tantas criações imortais de Carlito Maia usada exprimir o que sentia diante das barbaridades que aconteciam no Brasil, muitos anos atrás.

Carlito não está mais entre nós para dizer o que significa o bárbaro assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista, Anderson Pedro Gomes, na noite de quarta-feira, em meio à Guerra do Rio.

Agora há pouco, no começo da tarde desta quinta, na chegada dos corpos de Arielle e Anderson à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, milhares de cariocas choravam e gritavam palavras de protesto nas ruas, outros aplaudiam e todos ficaram emocionados diante da cena.

Em Brasília, as sessões do Congresso Nacional foram suspensas à tarde diante dos protestos de parlamentares da oposição.

Há muito tempo não se via uma reação tão forte como essa diante da brutal execução de quem denunciava a violência policial e o motorista que a conduzia no Estácio, quando o carro foi alvejado por nove tiros.

Leia a íntegra no Balaio do Kostcho.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247