Kotscho: nunca vi “tamanho baixo astral” para a posse

Jornalista diz que "governo novo sempre significa uma renovação de esperanças", mas que nunca viu "tamanho baixo astral como agora"; "Uma coisa é certa: a duas semanas do final do primeiro governo Dilma e do início do segundo, o clima no país nesta passagem de ano está mais para fim de feira do que para posse festiva", escreve

Jornalista diz que "governo novo sempre significa uma renovação de esperanças", mas que nunca viu "tamanho baixo astral como agora"; "Uma coisa é certa: a duas semanas do final do primeiro governo Dilma e do início do segundo, o clima no país nesta passagem de ano está mais para fim de feira do que para posse festiva", escreve
Jornalista diz que "governo novo sempre significa uma renovação de esperanças", mas que nunca viu "tamanho baixo astral como agora"; "Uma coisa é certa: a duas semanas do final do primeiro governo Dilma e do início do segundo, o clima no país nesta passagem de ano está mais para fim de feira do que para posse festiva", escreve (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Apesar de novos governos significarem "uma renovação de esperanças", o jornalista Ricardo Kotscho afirma nunca ter visto "tamanho baixo astral como agora", a 15 dias antes da posse da presidente Dilma Rousseff, marcada para 1º de janeiro.

"Uma coisa é certa: a duas semanas do final do primeiro governo Dilma e do início do segundo, o clima no país nesta passagem de ano está mais para fim de feira do que para posse festiva. Governo novo sempre significa uma renovação de esperanças, mas nunca vi tamanho baixo astral como agora", escreve Kotscho, em seu blog.

Além disso, segundo ele, Brasília "não tem a menor condição de receber visitas" nesse dia. A capital federal tem greve de servidores, acumula lixo em algumas ruas e mostra ainda mato alto no centro. Segundo ele, Dilma também "não ajuda nada a melhorar este clima", em silêncio sobre a crise da Petrobras e anunciando novos ministros a "conta-gotas".

Leia aqui a íntegra de seu artigo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247