Kotscho: se deixassem, com quem Lula governaria?

O jornalista Ricardo Kotscho questionou nesta quarta-feira, 24, como e com quem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva governaria, caso a Justiça não o impedisse sua candidatura e ele fosse eleito para um terceiro mandato; "De que forma Lula conseguiria montar novamente um ministério multipartidário, com tucanos e tudo, considerado o melhor já formado após a redemocratização? Toda a força política de Lula reside nas boas lembranças do seu governo, em que a maioria da população vivia melhor do que agora, mas a história não volta no tempo", afirma 

O jornalista Ricardo Kotscho questionou nesta quarta-feira, 24, como e com quem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva governaria, caso a Justiça não o impedisse sua candidatura e ele fosse eleito para um terceiro mandato; "De que forma Lula conseguiria montar novamente um ministério multipartidário, com tucanos e tudo, considerado o melhor já formado após a redemocratização? Toda a força política de Lula reside nas boas lembranças do seu governo, em que a maioria da população vivia melhor do que agora, mas a história não volta no tempo", afirma 
O jornalista Ricardo Kotscho questionou nesta quarta-feira, 24, como e com quem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva governaria, caso a Justiça não o impedisse sua candidatura e ele fosse eleito para um terceiro mandato; "De que forma Lula conseguiria montar novamente um ministério multipartidário, com tucanos e tudo, considerado o melhor já formado após a redemocratização? Toda a força política de Lula reside nas boas lembranças do seu governo, em que a maioria da população vivia melhor do que agora, mas a história não volta no tempo", afirma  (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Ricardo Kotscho questionou nesta quarta-feira, 24, como e com quem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva governaria, caso a Justiça não o impedisse sua candidatura e ele fosse eleito para um terceiro mandato. 

No TRF-4, o relator do recurso de Lula, João Pedro Gebran Neto, confirmou a sentença do juiz Sérgio Moro e aumentou a pena para 12 anos de prisão para o ex-presidente (leia mais). 

"Até agora, embora Lula lidere com folga todas as pesquisas de intenção de votos, o PT não fechou aliança com nenhuma outra sigla. Aliados históricos, PCdoB e PDT já lançaram candidatos e o PSB ainda não sabe o que vai fazer da vida", aponta Kotscho. 

Segundo Kotscho, tudo agora é completamente diferente de 2002. "Com o país dividido e radicalizado, o Lula de 2018 lembra mais o de 1989, o ano da primeira eleição direta para presidente, do que o de 2002, quando se elegeu como o 'Lulinha paz e amor'. Que grande empresário hoje toparia ser vice de Lula revivendo a chapa 'trabalho e capital' vitoriosa em 2002?", questiona. 

O jornalista, que foi secretário de Imprensa no primeiro governo de Lula, também questiona a formação de um novo governo Lula. "De que forma Lula conseguiria montar novamente um ministério multipartidário, com tucanos e tudo, considerado o melhor já formado após a redemocratização? Toda a força política de Lula reside nas boas lembranças do seu governo, em que a maioria da população vivia melhor do que agora, mas a história não volta no tempo", afirma Kotscho. 

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247