Laerte na luta contra a ditadura: 'A gente ainda quer a democracia'

A cartunista Laerte Coutinho, uma das colaboradoras da publicação 'Lula Livre, Lula Livro', afirma que a busca pela democracia ainda está em curso no Brasil; ela diz: "conquistamos o status democrático, mas a democracia é uma ideia complexa" e emenda "vencemos uma etapa da ditadura em 85, mas depois essas coisas todas vêm se construindo de uma forma que não dá pras pessoas relaxarem e falarem ‘pronto, acabou, chegamos’. Não, não chegamos"    

Laerte na luta contra a ditadura: 'A gente ainda quer a democracia'
Laerte na luta contra a ditadura: 'A gente ainda quer a democracia' (Foto: Reprodução/Guia da Semana)

Da Rede Brasil Atual - Foi na luta e resistência contra a ditadura que a cartunista Laerte Coutinho se encontrou profissionalmente. Passados 33 anos, a artista ainda vê a democracia no Brasil como algo inacabado. "Conquistamos o status democrático, mas a democracia é uma ideia complexa", analisa. Uma das autoras do livro manifesto Lula Livre, Lula Livro, Laerte toma como desafio hoje a luta pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e cita o Judiciário como o novo instrumento de repressão política.

"Vencemos uma etapa da ditadura em 85, mas depois essas coisas todas vêm se construindo de uma forma que não dá pras pessoas relaxarem e falarem ‘pronto, acabou, chegamos’. Não, não chegamos", contesta a cartunista, em entrevista ao Seu Jornal, da TVT. Ela considera a democracia, um valor que beneficia toda a população, como algo mutável e que demanda absorção de novas ideias. 

Convidada pelo escritor Marcelino Freire, um dos organizadores da antologia que reúne o trabalho de 86 autores, a artista explica seu trabalho a partir da integração do humor de costumes e político, que, ainda que possam estar ocasionalmente isolados, dão conta de uma crise que, para ela, envolve as esferas políticas, mas trata sobretudo de toda a sociedade.

Nesse sentido, e por considerar o humor uma ferramenta democrática, Laerte ressalta haver semelhança entre os períodos do início de sua carreira e o atual momento. "A semelhança é que a gente ainda quer a democracia", explica.

Ainda assim, a cartunista vê com otimismo o futuro e a retomada democrática, a começar pelo impacto das novas tecnologias sobre tradicionais veículos de comunicação. "Eu acho que o Brasil vai ter que encarar uma época em que a mídia vai ser redesenhada em termos realmente democráticos para atender essa população que hoje está sofrendo e sendo manipulada."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247