Latuff retrata o prêmio para o golpista Aécio

O chargista Carlos Latuff retratou nesta terça-feira, 17, a decisão do Supremo Tribunal Federal que aceitou denúncia da Procuradoria-Geral da República e transformaram em réu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção passiva e obstrução de Justiça a partir da delação feita por empresários do grupo J&F, que controla a JBS

O chargista Carlos Latuff retratou nesta terça-feira, 17, a decisão do Supremo Tribunal Federal que aceitou denúncia da Procuradoria-Geral da República e transformaram em réu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção passiva e obstrução de Justiça a partir da delação feita por empresários do grupo J&F, que controla a JBS
O chargista Carlos Latuff retratou nesta terça-feira, 17, a decisão do Supremo Tribunal Federal que aceitou denúncia da Procuradoria-Geral da República e transformaram em réu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção passiva e obstrução de Justiça a partir da delação feita por empresários do grupo J&F, que controla a JBS (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O chargista Carlos Latuff retratou nesta terça-feira, 17, a decisão do Supremo Tribunal Federal que aceitou denúncia da Procuradoria-Geral da República e transformaram em réu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção passiva e obstrução de Justiça a partir da delação feita por empresários do grupo J&F, que controla a JBS.

A decisão representa uma vitória para a delação premiada da J&F, principal base da acusação e que foi bastante criticada por inicialmente ter dado imunidade penal aos executivos do grupo empresarial e também diante da participação de um procurador da República, Marcello Miller, nas tratativas desse acordo de colaboração.

Confira abaixo: 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247