Le Monde Diplomatique retrata o tribunal de exceção do Brasil

Edição deste mês de março da revista Le Monde Diplomatique Brasil traz uma capa antológica sobre os "tribunais de exceção" que se instalaram no País, e os principais atores do golpe parlamentar de 2016, como os "manifestoches" e o presidente "vampirão", ambos representados pela escola Paraíso do Tuiuti, além do pato amarelo da Fiesp, militares do Exército e a Justiça prestes a ser enforcada

Edição deste mês de março da revista Le Monde Diplomatique Brasil traz uma capa antológica sobre os "tribunais de exceção" que se instalaram no País, e os principais atores do golpe parlamentar de 2016, como os "manifestoches" e o presidente "vampirão", ambos representados pela escola Paraíso do Tuiuti, além do pato amarelo da Fiesp, militares do Exército e a Justiça prestes a ser enforcada
Edição deste mês de março da revista Le Monde Diplomatique Brasil traz uma capa antológica sobre os "tribunais de exceção" que se instalaram no País, e os principais atores do golpe parlamentar de 2016, como os "manifestoches" e o presidente "vampirão", ambos representados pela escola Paraíso do Tuiuti, além do pato amarelo da Fiesp, militares do Exército e a Justiça prestes a ser enforcada (Foto: Aquiles Lins)

247 - A edição deste mês de março da revista Le Monde Diplomatique Brasil traz uma capa antológica sobre os "tribunais de exceção" que se instalaram no País, desde a aliança golpista entre Aécio Neves, Eduardo Cunha e Michel Temer, que resultou na retirada da presidente Dilma Rousseff sem comprovação de crime de responsabilidade, isto é, o golpe parlamentar de 2016. 

A capa, assinada por Vitor Flynn, os principais atores do golpe, como os "manifestoches" e o presidente "vampirão", ambos representados pela escola Paraíso do Tuiuti, além do pato amarelo da Fiesp, e militares do Exército. 

Confira abaixo: 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247