Le Monde diz que “Bolsonaro sepultou o cinema no Brasil”

Texto no jornal francês avalia que “o cinema brasileiro hoje vive um paradoxo vertiginoso”, em que “filmes são premiados em todo o mundo” ao mesmo tempo que o “setor passa por uma das piores crises de sua história”

Equipe do Democracia em Vertigem protesta no Oscar
Equipe do Democracia em Vertigem protesta no Oscar (Foto: Reprodução/Instagram)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Texto assinado por Bruno Meyerfeld, correspondente do jornal francês Le Monde no Rio de Janeiro, diz que Jair Bolsonaro “sepultou o cinema no Brasil”.

Para o jornalista, “o cinema brasileiro hoje vive um paradoxo vertiginoso”, em que “por um lado, filmes são premiados em todo o mundo”, ao mesmo tempo que o “setor passa por uma das piores crises de sua história, ligada à adesão ao poder do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro de 2019”.

Ele dá como exemplos de premiações o filme Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2019, A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz, e o documentário Democracia em Vertigem, de Petra Costa, indicado ao Oscar.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247