Luís Costa Pinto: ‘lançaram o país num lodaçal institucional para quê?’

Sobre o novo áudio da JBS anunciado pela PGR, o jornalista conclui: "a estatura moral de Rodrigo Janot é a mesma de Gilmar Mendes" e "o Ministério Público Federal é uma instituição acéfala"; "Derrubou-se um governo legítimo em nome disso? Para isso? Por isso? Lançaram o país num lodaçal institucional para quê?", questiona; para ele, "se é para zerar o jogo, zeremos tudo: inclusive consideremos a sério a impossibilidade de esse MP e de esse Judiciário tecerem juízo de valor condenatório contra Lula"

Sobre o novo áudio da JBS anunciado pela PGR, o jornalista conclui: "a estatura moral de Rodrigo Janot é a mesma de Gilmar Mendes" e "o Ministério Público Federal é uma instituição acéfala"; "Derrubou-se um governo legítimo em nome disso? Para isso? Por isso? Lançaram o país num lodaçal institucional para quê?", questiona; para ele, "se é para zerar o jogo, zeremos tudo: inclusive consideremos a sério a impossibilidade de esse MP e de esse Judiciário tecerem juízo de valor condenatório contra Lula"
Sobre o novo áudio da JBS anunciado pela PGR, o jornalista conclui: "a estatura moral de Rodrigo Janot é a mesma de Gilmar Mendes" e "o Ministério Público Federal é uma instituição acéfala"; "Derrubou-se um governo legítimo em nome disso? Para isso? Por isso? Lançaram o país num lodaçal institucional para quê?", questiona; para ele, "se é para zerar o jogo, zeremos tudo: inclusive consideremos a sério a impossibilidade de esse MP e de esse Judiciário tecerem juízo de valor condenatório contra Lula" (Foto: Gisele Federicce)

Por Luís Costa Pinto, em seu Facebook

Há alguns fatos no olho do "Furacão .wam" que devasta o Brasil nesse momento promovendo uma inundação de sincericídio (.wam é o tipo de arquivo de áudio que foi recuperado do computador de Joesley e que flagrou o papo boçal entre ele e o desqualificado lobista e fazendeiro Ricardo Saud):

1. A estatura moral de Rodrigo Janot é a mesma de Gilmar Mendes. Colegas de Ministério Público, merecem um ao outro na medida dos adjetivos que lançam um contra o outro - e ambos parecem falar a verdade.

2. O Ministério Público Federal é uma instituição acéfala. Lembra-me aquelas redações caóticas dos anos 1990 em que havia vários cães perdigueiros (bons repórteres, outros nem tanto, grandes caracteres, outros maus caráteres) com cúpulas entregues à lassidão e ao deslumbramento. Resultado: chefes que não sabiam fechar reportagens especiais e não diferenciavam grandes furos de imensas barrigas. Um dia o jornal, ou a revista, não ia fechar. A Lava Jato é isso: uma grande reportagem especial que não fecha porque o editor não sabe onde está o lead e perdeu o fio da meada.

3. Derrubou-se um governo legítimo em nome disso? Para isso? Por isso? Lançaram o país num lodaçal institucional para quê? 

4. Em meio a tanta lambança, Sérgio Moro e sua mulher Rosângela vêem a relação suspeita do padrinho de casamento com o advogado-doleiro da Odebrecht passar ao largo da indignação seletiva da mídia, dos pais da pátria e dos inocentes úteis de redes sociais.

5. Se é para zerar o jogo, zeremos tudo: inclusive consideremos a sério a impossibilidade de esse MP e de esse Judiciário tecerem juízo de valor condenatório contra Lula. Deixem a roleta voltar. O jogo tem de seguir com Pelé em campo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247