Manifesto de intelectuais no Guardian aponta: Bolsonaro é risco global

Jornal inglês The Guardian publica nesta quinta-feira, 23, manifesto assinado por intelectuais, políticos europeus e brasileiros alertando que uma eventual eleição de Jair Bolsonaro seria um risco não apenas para o Brasil, mas para o mundo; "A comunidade internacional, e em particular a França e a União Européia, deve agir e apoiar os democratas brasileiros", diz o documento assinado por nomes como Noam Chomsky, Naomi Klein, Ada Colau (prefeita de Barcelona), Benoît Hamon (político francês); "As idéias de Bolsonaro representam uma ameaça mortal à liberdade, aos direitos fundamentais, à obtenção de qualquer equilíbrio da Terra às mudanças climáticas e à jovem democracia do Brasil"

Manifesto de intelectuais no Guardian aponta: Bolsonaro é risco global
Manifesto de intelectuais no Guardian aponta: Bolsonaro é risco global

247 - O jornal The Guardian, o mais respeitado veículo da Inglaterra, publica nesta quinta-feira, 23, manifesto assinado por intelectuais, políticos europeus e brasileiros alertando que uma eventual eleição de Jair Bolsonaro seria um risco não apenas para o Brasil, mas para o mundo. 

Assinado por nomes como Noam Chomsky, Naomi Klein, Ada Colau (prefeita de Barcelona), Benoît Hamon (político francês) e brasileiros como Celso Amorim, Chico Buarque, Bresser Pereira e Paulo Sérgio Pinheiro, o manifesto alerta que o Brasil passa pela pior crise de sua história desde o golpe militar de 1964, e alerta para o discurso de ódio protagonizado por Bolsonaro. 

"Se Bolsonaro for eleito chefe do Estado brasileiro, esse ódio corre o risco de se institucionalizar e desencadear essa violência física. O Brasil já é, infelizmente, um dos países mais violentos do mundo: 61.619 homicídios foram cometidos em 2017, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública , representando cerca de 170 pessoas mortas por dia, incluindo um jovem negro a cada 23 minutos. Os defensores dos direitos humanos e ambientais já estavam particularmente ameaçados e cada vez mais visados", diz o texto publicado pelo The Guardian

Leia, abaixo, o documento na íntegra em tradução livre:

Bolsonaro ameaça o mundo, não apenas a jovem democracia do Brasil

Brasil está passando pela pior crise de sua história desde o golpe civil-militar e o estabelecimento da ditadura em 1964. Em 7 de outubro, na primeira rodada das eleições presidenciais, o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro obteve impressionantes 46,03% dos votos expressos, ou um terço dos eleitores registados . Este resultado desencadeou uma primeira onda de violência de ódio : mais de 70 ataques foram registrados contra pessoas LGBT, contra mulheres, contra qualquer oponente de extrema direita ou contra jornalistas.

Na noite do primeiro turno, o mestre de capoeira Moa do Katendê, ativista anti-racista e educador, foi esfaqueado até a morte por um partidário de Bolsonaro. Katendê declarara que havia votado no candidato de esquerda Fernando Haddad . No sul do país, uma mulher de 22 anos foi atacada na rua. Tememos que isso seja apenas uma antecipação de uma onda mais mortal de violência.

Este ódio e violência está claramente sendo instigado por Bolsonaro e seus representantes eleitos. Ao repetir seus discursos e provocações misóginos, racistas, homofóbicos e transfóbicos, exibindo suas armas de fogo, glorificando a ditadura militar, espalhando informações falsas, implicitamente exigem a brutalização, até mesmo o assassinato, de todos aqueles que não se parecem com eles: mulheres e ativistas LGBT, defensores dos direitos humanos e povos indígenas, ativistas progressistas ou jornalistas.

Se Bolsonaro for eleito chefe do Estado brasileiro, esse ódio corre o risco de se institucionalizar e desencadear essa violência física. O Brasil já é, infelizmente, um dos países mais violentos do mundo: 61.619 homicídios foram cometidos em 2017, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública , representando cerca de 170 pessoas mortas por dia, incluindo um jovem negro a cada 23 minutos. Os defensores dos direitos humanos e ambientais já estavam particularmente ameaçados e cada vez mais visados.

Além disso, as instituições democráticas brasileiras também foram perigosamente enfraquecidas pelos escândalos político-financeiros que afetam todos os partidos políticos e pela polêmica demissão da presidente Dilma Rousseff em 2016. Receia-se que essas instituições não possam impor o Estado de Direito democrático no caso da vitória de Bolsonaro.

Com a aproximação do segundo turno, em 28 de outubro, o candidato de extrema direita conta com o apoio dos setores mais conservadores e reacionários da sociedade brasileira: o lobby pró-armas, representantes de grandes latifundiários, muitos industriais, poderosas igrejas evangélicas, parte do exército e forças policiais. Eles assumirão a responsabilidade pelo que espera no Brasil .

A comunidade internacional, e em particular a França e a União Européia, deve agir e apoiar os democratas brasileiros, independentemente do resultado da eleição presidencial. Isto é particularmente verdade porque as idéias de Bolsonaro representam uma ameaça mortal à liberdade, aos direitos fundamentais, à obtenção de qualquer equilíbrio da Terra às mudanças climáticas e à jovem democracia do Brasil.

Esta peça foi elaborada pela Associação Autres Brésil, com sede em Paris, e assinada em apoio por: Celso Amorim, diplomata brasileiro; Frei Betto, autor, brasileiro; José Bové, membro do parlamento europeu (Grupo dos Verdes / Aliança Livre Europeia), francês; Chico Buarque, músico, brasileiro; Noam Chomsky, lingüista, americano; Ada Colau, prefeita de Barcelona; Karima Delli, membro do parlamento europeu (Grupo dos Verdes / Aliança Livre Europeia), francês; Benoît Hamon, político, francês; Naomi Klein, jornalista canadense; Noel Mamère, político, francês; Joana Mortágua, MP (Bloco Esquerdo), portuguesa; Bill McKibben, autor, educador, ecologista e co-fundador da 350.org; Bresser Pereira, economista, brasileiro; Carol Proner, advogada, brasileira; Paulo Sérgio Pinheiro, diplomata, brasileiro; Chico Whitaker, co-fundador do Fórum Social Mundial Brasileiro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247