Mario Magalhães: Temer faz do Brasil uma republiqueta

Jornalista Mário Magalhães disse que o presidente Michel Temer atuou como chefe de uma "república de bananas" no escândalo de corrupção denunciado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, sobre o agora ex-ministro Geddel Vieira Lima, e agindo para a Advocacia-Geral da União cuidar do caso; "Tudo bancado, do salário dos governantes ao do pessoal da AGU, com o sofrido dinheiro dos contribuintes. Isso não é coisa de República, mas de republiqueta", diz Mário; para ele, de personagens controversos da República, Temer e seus lugares-tenentes se transformaram em "figuras de republiqueta e ópera-bufa"

Jornalista Mário Magalhães disse que o presidente Michel Temer atuou como chefe de uma "república de bananas" no escândalo de corrupção denunciado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, sobre o agora ex-ministro Geddel Vieira Lima, e agindo para a Advocacia-Geral da União cuidar do caso; "Tudo bancado, do salário dos governantes ao do pessoal da AGU, com o sofrido dinheiro dos contribuintes. Isso não é coisa de República, mas de republiqueta", diz Mário; para ele, de personagens controversos da República, Temer e seus lugares-tenentes se transformaram em "figuras de republiqueta e ópera-bufa"
Jornalista Mário Magalhães disse que o presidente Michel Temer atuou como chefe de uma "república de bananas" no escândalo de corrupção denunciado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, sobre o agora ex-ministro Geddel Vieira Lima, e agindo para a Advocacia-Geral da União cuidar do caso; "Tudo bancado, do salário dos governantes ao do pessoal da AGU, com o sofrido dinheiro dos contribuintes. Isso não é coisa de República, mas de republiqueta", diz Mário; para ele, de personagens controversos da República, Temer e seus lugares-tenentes se transformaram em "figuras de republiqueta e ópera-bufa" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Mário Magalhães afirmou nessa sexta-feira, 25, que o presidente Michel Temer atuou como chefe de uma "república de bananas" no escândalo de corrupção denunciado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, sobre o agora ex-ministro Geddel Vieira Lima.

"Um dos aspectos mais grotescos do affair em torno da construção do edifício La Vue é a mobilização do presidente e de ao menos dois ministros para liberar um prédio residencial de luxo vetado por servidores públicos especializados em patrimônio histórico e artístico. E agindo para a Advocacia-Geral da União cuidar do caso. Tudo bancado, do salário dos governantes ao do pessoal da AGU, com o sofrido dinheiro dos contribuintes. Isso não é coisa de República, mas de republiqueta", diz Mário. 

"A hipocrisia presidencial atingiu o despudor. 'Precisamos aprender no país a respeitar as instituições', disse recentemente Temer, provocando e avacalhando os adolescentes que ocupam escolas país afora", lembrou o colunista.

Para Mário Magalhães, de personagens controversos da República, Temer e seus lugares-tenentes se transformaram em "figuras de republiqueta e ópera-bufa".

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247