McDonald's desaparece na mídia venal

Decisão da Justiça contra a rede americana é histórica, mas não mereceu qualquer destaque na imprensa privada. Os bilionários anúncios publicitários da empresa explicam esse silêncio

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A 11ª Vara do Trabalho do Recife decidiu nesta semana que o McDonald's deverá regularizar de imediato a jornada de trabalho dos 42 mil funcionários das suas 600 lanchonetes no Brasil. A liminar atendeu ao pedido do Ministério Público do Trabalho. A poderosa multinacional estadunidense desrespeita as leis trabalhistas do país ao impor uma jornada móvel, o que obriga os trabalhadores a permanecerem à disposição da rede nas escalas de trabalho. A decisão da Justiça é histórica, mas não mereceu qualquer destaque na imprensa privada. Os bilionários anúncios publicitários da rede explicam o silêncio da mídia venal!

De acordo com a medida imposta por liminar pela 11ª Vara do Trabalho, a empresa Arcos Dourados, que representa o McDonald's no país, será obrigada a partir de agora a aplicar a jornada regular prevista em lei, que deixa explícito o horário de entrada e saída dos funcionários. Segundo a Procuradoria do Trabalho, o modelo adotado até hoje permitia que a multinacional decidisse, com poucas horas de antecedência, a escala da equipe para o dia seguinte. Em dias de movimento fraco, os funcionários eram dispensados mais cedo, o que impedia que recebessem o salário integral no fim do mês.

Ainda de acordo com a decisão do órgão, a empresa também será obrigada a permitir que os funcionários levem de casa a sua alimentação. Até hoje, eles só podiam se alimentar com os lanches vendidos pela rede. Em caso de descumprimento da limitar, a Arcos Dourados ficará sujeita a multa mensal de R$ 3.000 por trabalhador prejudicado. A aplicação desta decisão histórica dependerá agora da pressão dos sindicatos da categoria e da rigorosa fiscalização dos órgãos públicos. Não dá para esperar qualquer "denuncismo" da mídia privada. O Globo Repórter não fará uma reportagem especial sobre este tema!

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email