Mello Franco, do Globo, diz que história do impeachment de Dilma está sendo reescrita

Ciente de que a ex-presidente Dilma Rousseff foi vítima de um golpe de estado, o colunista Bernardo Mello Franco, do jornal O Globo, destaca a confisssão feita pelo tucano Aloysio Nunes, que ajudou a articular a conspiração golpista e dela se beneficiou, sobre o "peixe podre" entregue pelo ex-juiz Sergio Moro ao STF

Dilma Rousseff
Dilma Rousseff (Foto: Leonardo Contursi/CMPA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "Três anos depois, a história do impeachment de Dilma Rousseff continua a ser reescrita. Na sexta-feira, o tucano Aloysio Nunes afirmou que a Lava-Jato cometeu 'ilegitimidades' e vendeu 'peixe podre' para forçar a derrubada da ex-presidente. Ele se referia ao grampo do 'Bessias', vazado por Sergio Moro às vésperas da votação decisiva na Câmara", diz o colunista Bernardo Mello Franco, do Globo.

"O tucano foi beneficiário direto do impeachment. Candidato a vice-presidente na chapa de Aécio Neves, ele virou líder do governo de Michel Temer no Senado. Meses depois, foi promovido a ministro das Relações Exteriores. Na sexta, o tucano disse não ter dúvidas de que a nomeação de Lula teria evitado a queda de Dilma", afirma ainda o colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email