Mello Franco: Moro quer destruir diálogos, mas deveria divulgá-los

O jornalista Bernardo Mello Franco afirma que "com a prisão dos hackers, ficou fácil atestar a autenticidade dos diálogos da Lava-Jato. Moro deveria ser o principal interessado em fazer isso, mas se apressou a dizer que as mensagens seriam destruídas"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Bernardo Mello Franco, em sua coluna no jornal O Globo, afirma que "com a prisão dos hackers, ficou fácil atestar a autenticidade dos diálogos da Lava-Jato. Moro deveria ser o principal interessado em fazer isso, mas se apressou a dizer que as mensagens seriam destruídas". 

"No Twitter, o ministro da Justiça voltou a se referir a “supostas mensagens obtidas por crime”. Desde o caso veio à tona, ele contesta a autenticidade dos diálogos de forma genérica, sem dizer o que seria falso ou verdadeiro. Se a PF copiou todos os arquivos dos hackers, é possível tirar a prova. Basta querer."

"Moro deveria ser o principal interessado em esclarecer o caso, que pôs em xeque a sua conduta nos processos da Lava-Jato. No entanto, ele se apressou a dizer que os diálogos seriam imediatamente descartados — segundo disse o presidente do STJ, “para não devassar a intimidade de ninguém”. O ex-juiz teve que ser lembrado de que isso não depende da sua vontade. As provas só podem ser destruídas por ordem judicial."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247