Mídia golpista confirma julgamento político

As manchetes dos principais jornais brasileiros demonstram, de forma inequívoca, que o julgamento de Lula só ocorreu para que ele fosse banido da disputa presidencial de 2018 pelo tapetão judicial. Na Folha, condenação dificulta candidatura. No Globo, esvazia. No Valor, impede, enquanto o Estado de S. Paulo adianta que o registro de Lula deve ser barrado. Foi exatamente para que este objetivo fosse alcançado que o Brasil sofreu dois golpes sequenciais – o de 2016, com a derrubada de Dilma sem crime de responsabilidade, e o de 2018, com a condenação de Lula sem provas; a questão é: o povo vai aceitar?

As manchetes dos principais jornais brasileiros demonstram, de forma inequívoca, que o julgamento de Lula só ocorreu para que ele fosse banido da disputa presidencial de 2018 pelo tapetão judicial. Na Folha, condenação dificulta candidatura. No Globo, esvazia. No Valor, impede, enquanto o Estado de S. Paulo adianta que o registro de Lula deve ser barrado. Foi exatamente para que este objetivo fosse alcançado que o Brasil sofreu dois golpes sequenciais – o de 2016, com a derrubada de Dilma sem crime de responsabilidade, e o de 2018, com a condenação de Lula sem provas; a questão é: o povo vai aceitar?
As manchetes dos principais jornais brasileiros demonstram, de forma inequívoca, que o julgamento de Lula só ocorreu para que ele fosse banido da disputa presidencial de 2018 pelo tapetão judicial. Na Folha, condenação dificulta candidatura. No Globo, esvazia. No Valor, impede, enquanto o Estado de S. Paulo adianta que o registro de Lula deve ser barrado. Foi exatamente para que este objetivo fosse alcançado que o Brasil sofreu dois golpes sequenciais – o de 2016, com a derrubada de Dilma sem crime de responsabilidade, e o de 2018, com a condenação de Lula sem provas; a questão é: o povo vai aceitar? (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Tanto o New York Times como a Associação Americana de Juristas disseram o óbvio, ao tratar do caso Lula. Ele só estava sendo julgado ontem, com evidências que não seriam aceitas por sistemas judiciais sólidos, para que um objetivo político fosse alcançado: seu banimento da vida pública.

Se havia dúvidas em relação a isso, as manchetes dos principais jornais brasileiros demonstram, de forma inequívoca, que o julgamento de Lula teve esta motivação

Na Folha, noticia-se que a condenação dificulta a candidatura. No Globo, afirma-se que esvazia. No Valor, o verbo é impede, enquanto o Estado de S. Paulo adianta que o registro de Lula deve ser barrado.

Foi exatamente para que este objetivo fosse alcançado que o Brasil sofreu dois golpes sequenciais – o de 2016, com a derrubada de Dilma sem crime de responsabilidade, e o de 2018, com a condenação de Lula sem provas.

A questão é: o povo vai aceitar?

Inscreva-se na TV 247 e confira o "Bom dia 247" sobre o tema:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247