Milícia bolsonarista nas redes pede bloqueio comercial contra a China, principal parceiro comercial do país

Sob a tese esdrúxula de que o Brasil não precisa comercialmente do país asiático, bolsonarista pedem que o país rompa as relações com a China. Superávit comercial brasileiro foi garantido graças as compras dos chineses, com US$ 21,4 bilhões

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As milíciaisvirtuais bolsonaristas entraram em campanha nas redes sociais para atacar o governo da China, principal parceiro comercial do Brasil. Nas redes sociais estão fazendo campanha para que o Brasil rompa relações comerciais com a China sob a tese esdrúxula de que o Brasil não precisa comercialmente do país asiático.

Endossando o discurso do guru do clã Bolsoanro, o astrólogo Olavo de Carvalho, a hashtag pedindo o bloqueio atingiu o topo dos assuntos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira (6).

Perfis bolsonaristas apoiaram o discurso do ministro da Educação, Abraham Weintraub, apontado como racista e xenófobo, e pediram o bloqueio das relação com a China.

"Os chineses que precisam de nós, eles não têm suprimentos para manter a sua população, a China tem uma guerra comercial com os EUA e a mesma que teve que pedir para comprar comida novamente", escreveu um internauta.

A China foi fundamental no resultado do superávit brasileiro do ano passado. De janeiro a outubro, o saldo da balança comercial foi de US$ 34,9 bilhões com a China participando com US$ 21,4 bilhões.


 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email