Mino Carta: Judiciário ausente e mídia sustentam o golpe

"As delações colhidas pela Lava Jato exibem as mazelas partidárias e confirmam a condição das empreiteiras e do mercado como fiadores do poder. Algo, porém, é ainda mais espantoso: a ausência de Justiça e o comportamento da mídia. A República de Curitiba cuidou, bem antes do impeachment, de alavancar o golpe, para revelar o objetivo primeiro de toda a operação: destruir Lula e o PT", escreve o diretor de redação da revista CartaCapital

"As delações colhidas pela Lava Jato exibem as mazelas partidárias e confirmam a condição das empreiteiras e do mercado como fiadores do poder. Algo, porém, é ainda mais espantoso: a ausência de Justiça e o comportamento da mídia. A República de Curitiba cuidou, bem antes do impeachment, de alavancar o golpe, para revelar o objetivo primeiro de toda a operação: destruir Lula e o PT", escreve o diretor de redação da revista CartaCapital
"As delações colhidas pela Lava Jato exibem as mazelas partidárias e confirmam a condição das empreiteiras e do mercado como fiadores do poder. Algo, porém, é ainda mais espantoso: a ausência de Justiça e o comportamento da mídia. A República de Curitiba cuidou, bem antes do impeachment, de alavancar o golpe, para revelar o objetivo primeiro de toda a operação: destruir Lula e o PT", escreve o diretor de redação da revista CartaCapital (Foto: Gisele Federicce)

247 – No editorial dessa semana na revista CartaCapital, o diretor de redação, Mino Carta, ressalta que a ausência da Justiça no Brasil e a mídia – segundo ele, "a serviço do mal" – sustentam o atual governo, que chegou ao poder por um golpe, conforme admitiu Michel Temer nessa semana.

"As delações colhidas pela Lava Jato exibem as mazelas partidárias e confirmam a condição das empreiteiras e do mercado como fiadores do poder. Algo, porém, é ainda mais espantoso: a ausência de Justiça e o comportamento da mídia. A República de Curitiba cuidou, bem antes do impeachment, de alavancar o golpe, para revelar o objetivo primeiro de toda a operação: destruir Lula e o PT", diz Mino Carta.

"As instituições estão destroçadas e decisivas para os golpistas são a inexistência da Justiça e a propaganda midiática. Tais as garantias do estado de exceção em que precipitamos", afirma ainda. Para ele, a solução "para sair de uma crise desse porte, é óbvio, que seria cogitar, no mais breve tempo possível, eleições gerais para devolver ao próprio povo a palavra final" (assista aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247