Mourão lamenta demissão de Santos Cruz: companheiro de todas as horas

Demitido por Jair Bolsonaro por pressão de seu filho Carlos e do 'guru' Olavo de Carvalho, o general Santos Cruz foi defendido pelo vice Hamilton Mourão: "ele é meu amigo de longa data. Extraordinário soldado e companheiro para todas as horas"

Mourão lamenta demissão de Santos Cruz: companheiro de todas as horas

247 – Prenúncio de crise militar em Brasília, depois da demissão do general Santos Cruz por Jair Bolsonaro, a pedido de seu filho Carlos e do 'guru' Olavo de Carvalho. "Ele é meu amigo de longa data. Extraordinário soldado e companheiro para todas as horas", disse o vice Hamilton Mourão, vice-presidente da República, à coluna Radar. Abaixo, reportagem da Reuters:

BRASÍLIA (Reuters) - O general da reserva Carlos Alberto Santos Cruz deixou o comando da Secretaria de Governo da Presidência da República e será substituído no cargo pelo general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, atual comandante militar do Sudeste, informou nesta quinta-feira o gabinete do porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros.

Segundo informou uma fonte à Reuters, Santos Cruz não pediu demissão do cargo. A saída do general do ministério do presidente Jair Bolsonaro acontece pouco mais de um mês depois de Santos Cruz ser alvo de críticas do escritor Olavo de Carvalho, ideólogo dos seguidores de Bolsonaro, assim como de filhos do presidente.

A fonte disse ainda que a saída do general do cargo se deu devido a uma série de disputas envolvendo a área de comunicação do governo, o que estava atrapalhando o planejamento do setor.

Em nota divulgada pelo porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, Bolsonaro disse que a amizade com Santos Cruz continua.

“O presidente da República deixa claro que essa ação não afeta a amizade, a admiração e o respeito mútuo, e agradece o trabalho executado pelo general Santos Cruz à frente da Secretaria de Governo.”

Santos Cruz, por sua vez, expressou, em carta à imprensa, agradecimento e admiração a servidores da secretaria, a parlamentares e outras autoridades. E finalizou: “Ao presidente Bolsonaro e seus familiares, desejo saúde, felicidade e sucesso.”

Sobre Santos Cruz, o escritor Olavo de Carvalho chegou a afirmar que “fofoca e difama pelas costas” e recebeu resposta do general, que classificou o escritor de “um desocupado esquizofrênico”.

O general também foi criticado por filhos do presidente —o vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Sob a Secretaria de Governo, comandada por Santos Cruz, está a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência, e Carlos fez críticas públicas à comunicação do governo.

Após o momento mais agudo da crise, no início de maio, quando Santos Cruz e Bolsonaro estiveram reunidos por mais de uma e hora e meia num domingo, o presidente chegou a manifestar confiança no general.

Santos Cruz é a terceira baixa no primeiro escalão no governo Bolsonaro em menos de seis meses. Antes dele deixaram os cargos de ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno, que presidiu o PSL, partido de Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, e o ministro da Educação Ricardo Vélez.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

247 faz apelo por debate responsável na internet

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247