Movimento #elenão impulsiona mais de 1,6 milhão de menções contra e a favor de Bolsonaro

Segundo a FGV, a disputa entre hashtags favoráveis e contrárias ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), criadas a partir da repercussão do marcador #elenão, mobiliza um volume expressivo de publicações no Twitter; entre 12 de setembro e a última segunda (24), foram aproximadamente 1,6 milhão de menções; a mais numerosa é a #elenão (1 milhão)

Movimento #elenão impulsiona mais de 1,6 milhão de menções contra e a favor de Bolsonaro
Movimento #elenão impulsiona mais de 1,6 milhão de menções contra e a favor de Bolsonaro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 - A disputa entre hashtags favoráveis e contrárias ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), criadas a partir da repercussão do marcador #elenão, segue mobilizando volume expressivo de publicações no Twitter. Entre 12 de setembro, dia em que os primeiros tuítes surgiram, e a última segunda (24), foram aproximadamente 1,6 milhão de menções. Entre elas, são mais numerosas as hashtags #elenão (1 milhão), #elenunca (390 mil) e #elesim (283,9 mil). É o que aponta a Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV DAPP).

O grupo de hashtags -#elenão, #elenunca, #elejamais, #elenãoelenunca, #elemente e #nothim - teve pouco mais de 8,3 mil tuítes por hora no principal pico de menções ao grupo. O crescimento tem relação com o ataque à página contrária a Bolsonaro no Facebook, naquele fim de semana, associado também à hashtag #mucbvive. A invasão é atribuída por parte dos usuários ao candidato e a seus seguidores, o que motivou acusações de autoritarismo. Neste sentido, despontam tuítes ligados ao marcador #hackeiameuvoto, que reúne posts afirmando, em tom irônico, que impedir manifestações em uma rede social pode ser fácil, mas não teria impacto na escolha das mulheres nas urnas.

Inicialmente, a hashtag #elenão surgiu como uma mobilização de parte do movimento feminista que se posiciona de modo contrário a Bolsonaro. Nas publicações mais retuitadas entre os dias 12 e 14 de setembro, por exemplo, destacam-se a retomada de falas do candidato consideradas ofensivas para as mulheres e, posteriormente, para outras minorias políticas; e a divulgação da página "Mulheres Unidas Contra Bolsonaro", com ênfase no aumento de seguidores do grupo. Naquele momento, a hashtag era bastante associada a outras, como: #mulherescontrabolsonaro, #mucb e #nãosomosumafraquejada, entre outras.

Com o passar dos dias, no entanto, a hashtag e suas variações começam a apresentar novos funcionamentos. Em alguns momentos, chegam a ser utilizadas por apoiadores de Bolsonaro, em expressões como "#elenão é corrupto" ou "#elenão é ladrão", subvertendo a narrativa crítica indexada pelas hashtags, em direção a uma manifestação de apoio. Entre as publicações de maior repercussão, contudo, a estratégia não encontra grande espaço.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247