Nassif: Brasil pode ser efetivamente controlado por milícias

O jornalista Luis Nassif afirma que o decreto de Bolsonaro não é mero lobby de indústria de armas; ele diz: "é um posicionamento político para impor-se amparado pelo poder das milícias, dos ruralistas, pelas armas nas mãos de seus seguidores, pelos aliados nas empresas de segurança e, provavelmente, por sua influência junto à média oficialidade das Forças Armadas

Nassif: Brasil pode ser efetivamente controlado por milícias
Nassif: Brasil pode ser efetivamente controlado por milícias (Foto: 247 | PR)

247 - O jornalista Luis Nassif afirma que o decreto que libera ainda mais o porte de armas tem uma função política mais preocupante do que a mero lobby de indústria de armas. Para Nassif, Bolsonaro quer armar a população para produzir milícias e fazer frente até mesmo aos militares. Ele diz: "é um posicionamento político para impor-se amparado pelo poder das milícias, dos ruralistas, pelas armas nas mãos de seus seguidores, pelos aliados nas empresas de segurança e, provavelmente, por sua influência junto à média oficialidade das Forças Armadas. 

Em artigo publicado no jornal GGN, Nassif introduz o tema: "depois das últimas escaramuças, não resta dúvida de que a alma do governo Jair Bolsonaro são seus filhos Carlos e Eduardo. E, por trás de ambos, Olavo de Carvalho. Conforme foi possível conferir ao longo desses meses iniciais, todas as loucuras ditas por Olavo e pelos filhos de Bolsonaro têm consequências políticas. Não são meramente bazófias e grosserias. Têm que ser interpretadas ao pé da letra."

E traça a estratégia embutida nas ações: "de todos os tuites de Olavo, o que mais chamou a atenção foi o que ele avisa para deixar para mais tarde a briga com o general Villas-Boas. Quem o avisou foi "o anjo da guarda". Não é necessário muito tirocínio para intuir quem é o tal de anjo da guarda. É evidente que o sentido da frase embute a questão da correlação de forças. Mas o que impediria, neste momento, se o próprio Bolsonaro deixou claro que, entre militares e Olavo, fica com Olavo? Certamente não é a correlação de forças políticas dentro do governo Bolsonaro, onde Olavo saiu vitorioso. É a correlação entre o bolsonarismo e as forças externas – incluindo aí, os generais."

Veja o vídeo em que Nassif analisa o tema do decreto:  

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247