Nassif compara ação da Lava Jato à "noite das facas longas"

Jornalista Luis Nassif compara a Lava Jato com a noite em que opositores de Hitler foram mortos e detidos; "Na tragédia brasileira, a Lava Jato foi a onda avassaladora, manobrada por um juiz ambicioso e um grupo de procuradores ingênuos", afirma; "Deslumbrados com os poderes que foram revestidos por uma mídia igualmente descompromissada com valores democráticos"

(Foto: 247 | Reuters)

247 - "Na noite de 30 de junho, mal Adolf Hitler tornou-se chanceler da Alemanha, seu grupo saiu às ruas para caçar não apenas opositores, mas aliados de primeira hora. Foram mortas 85 pessoas, milhares foram detidos, no episódio conhecido como "a noite das facas longas'", escreve o jornalista Luis Nassif, no Jornal GGN. Naquele dia, afirma ele, " aproveitou-se o momento para prender conservadores antinazistas, como o ex-chanceler Kurt von Schleicher e Gustav Ritter von Kahr". 

"Na tragédia brasileira, a Lava Jato foi a onda avassaladora, manobrada por um juiz ambicioso e um grupo de procuradores ingênuos, despreparados, imaturos, sem a menor noção sobre as responsabilidades institucionais do Ministério Público, deslumbrados com os poderes que foram revestidos por uma mídia igualmente descompromissada com valores democráticos e incapaz de prever o dia seguinte", compara.  

O jornalista também afirma que "foi a catarse, a criação do ambiente de medo do 'comunismo', o fato de tratar como ameaça à democracia qualquer medida de um governo institucionalmente desarmado até o limite da irresponsabilidade, que permitiu a ascensão dos SSs bolsonaristas".  

Leia a íntegra no GGN

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247