Nassif sobre Veja: síndrome do escorpião fala mais alto

Jornalista critica reportagem que diz que o ex-presidente Lula "quer tentar reunificar a quadrilha do petrolão", um comentário do colunista Augusto Nunes; "Quando você imagina que a Veja vai tentar voltar a um jornalismo minimamente decente, a síndrome do escorpião fala mais alto", postou Nassif no Twitter

Jornalista critica reportagem que diz que o ex-presidente Lula "quer tentar reunificar a quadrilha do petrolão", um comentário do colunista Augusto Nunes; "Quando você imagina que a Veja vai tentar voltar a um jornalismo minimamente decente, a síndrome do escorpião fala mais alto", postou Nassif no Twitter
Jornalista critica reportagem que diz que o ex-presidente Lula "quer tentar reunificar a quadrilha do petrolão", um comentário do colunista Augusto Nunes; "Quando você imagina que a Veja vai tentar voltar a um jornalismo minimamente decente, a síndrome do escorpião fala mais alto", postou Nassif no Twitter (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Luis Nassif, do Jornal GGN, criticou o que chamou de "síndrome do escorpião" da revista Veja.

O comentário foi feito em seu Twitter depois da publicação de uma matéria no site da Veja que diz que o ex-presidente Lula "quer tentar reunificar a quadrilha do petrolão", um comentário do colunista Augusto Nunes.

"Quando você imagina que a Veja vai tentar voltar a um jornalismo minimamente decente, a síndrome do escorpião fala mais alto", postou Nassif.

Numa definição já feita pelo próprio jornalista, a síndrome do escorpião é "o exercício continuado de atirar em qualquer um que passa na frente".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247