Nassif vê Lula como fator central para um pacto nacional, mas Globo ainda é obstáculo

"Lula tem uma tradição de conciliação e de articulação. Conseguirá exerce-la tendo o Sistema Globo a demonizá-lo em todos os momentos?", questiona o jornalista

Nassif: MPF, mais uma vez, cumpre seu papel político contra Lula
Nassif: MPF, mais uma vez, cumpre seu papel político contra Lula (Foto: 247 | Ricardo Stuckert)

247 – O jornalista Luis Nassif, editor do GGN, diz que o ex-presidente Lula é a peça central para a construção de um grande pacto nacional, mas vê na Globo um obstáculo para que o Brasil encontre uma saída democrática para seus impasses. 

Segundo ele,  o fenômeno Bolsonaro é a maior prova da falência do sistema política e institucional brasileiro. "Ele surfou na onda do salvacionismo mais primário, aquele que vê a fonte de todos os males no inimigo político (o PT), nos criminosos, nos de fora (imigrantes, minorias) e no marxismo cultural, seja lá isso o que for. Mesmo para um país atrasado, como o Brasil, a dose foi excessiva, despertando parte do país para a importância de se recuperar os chamados valores civilizatórios", escreve Nassif.

"Do lado das esquerdas, o grande nome continua sendo Lula. Saindo da cadeia, poderá ocupar seu lugar de articulador político. Mas como ficará o antilulismo, que se transformou na segunda maior força política do país e só agora começa a ser superado pelo antibolsonarismo? Ocorre que a imprensa criou uma armadilha para o país, com a demonização de Lula. Qualquer país civilizado considera ex-presidentes como ativos nacionais, relevantes para ajudar a solucionar momentos de impasse. Na crise do mensalão, foi esse o comportamento de José Sarney, Itamar Franco, Fernando Collor. A exceção sempre foi Fernando Henrique Cardoso, com seu imenso egocentrismo. Lula tem uma tradição de conciliação e de articulação. Conseguirá exerce-la tendo o Sistema Globo a demonizá-lo em todos os momentos?", questiona.

Leia a íntegra no GGN

Ao vivo na TV 247 Youtube 247