O golpe de Bolsonaro passou na janela e só Toffoli não viu, diz Mello Franco

Colunista Bernardo Mello Franco questiona as recorrentes "passadas de pano" do ministro Dias Toffoli para o bolsonarismo

Presidente do STF, Dias Toffoli, e Jair Bolsonaro
Presidente do STF, Dias Toffoli, e Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O colunista Bernardo Mello Franco tomou de empréstimo uma canção de Chico Buarque para lamentar a postura de Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal. O golpe passou na janela, e só Toffoli não viu. "Toffoli deixa o comando do Supremo Tribunal Federal na próxima quinta-feira. Em sua gestão, o governo atacou e ameaçou a Corte de forma inédita desde o fim da ditadura. O ministro fingiu não perceber o que ocorria. Calou-se diante das ofensas e se comportou como um aliado do capitão", afirma Bernardo.

"Em 20 meses no poder, Bolsonaro fez quase tudo para minar a autoridade do Supremo. Ofendeu ministros, ameaçou descumprir decisões e participou de manifestações que pediam o fechamento da Corte. Em maio, o deputado Eduardo Bolsonaro declarou que uma 'ruptura' era apenas questão de tempo. Seu pai sugeriu o mesmo em falas públicas e reuniões privadas", lembra ainda o jornalista.

Pois na sexta-feira passada, Toffoli fingiu não ter visto nada disso. “De todo o relacionamento que tive com o presidente Jair Bolsonaro e com seus ministros de Estado, nunca vi diretamente da parte deles nenhuma atitude contra a democracia”, disse.

"O golpe passou na janela, e só Toffoli não viu", escreve Bernardo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email