Para não contrariar bancadas da Bíblia, boi e bala, Bolsonaro censura publicidade ministerial

Secretaria de Comunicação da Presidência, que responde diretamente às demandas de Jair Bolsonaro, censurou a proposta de uma propaganda para divulgação do pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, que conta a história de um homem ferido por tiros e que tem a bala alojada no corpo há 27 anos. A censura se deu porque a história contada contraria bandeiras das bancadas da “bala, Bíblia e boi”

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Revista Fórum - A Secretaria de Comunicação da Presidência, que responde diretamente às demandas de Jair Bolsonaro (PSL), censurou a proposta de uma propaganda para divulgação do pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, que conta a história de um homem ferido por tiros e que tem a bala alojada no corpo há 27 anos. Em abril, Bolsonaro já havia censurado uma propaganda do Banco do Brasil com foco na diversidade.

Segundo a coluna da jornalista Bela Megale, na edição desta segunda-feira (5) do jornal O Globo, a censura se deu porque a história contada contraria bandeiras das bancadas da “bala, Bíblia e boi”. Moro teria ficado chateado com o veto.

Leia a íntegra mna Revista Fórum

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247