Para o Globo, governo Bolsonaro falhou ao não conseguir socorrer 16,3 mi de empresas

"São dez milhões registrados como microempreendedores individuais (MEI, para a Receita Federal)”, ressalta o editorial da família Marinho. “Igualmente fragilizados estão os 6,3 milhões de pequenos e médios empresários (PMEs)", completa

(Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O jornal O Globo, que apoiou o golpe parlamentar de 2016 contra a presidente Dilma Rousseff,  destaca em seu editorial desta segunda-feira (25), que o governo Jair Bolsonaro “fracassou” ao não conseguir socorrer 16,3  milhões de micro, pequenas e médias empresas “que acreditaram no anunciado socorro oficial durante a emergência da pandemia”. “

“São dez milhões registrados como microempreendedores individuais (MEI, para a Receita Federal), um contingente que dobrou nos últimos cinco anos”, ressalta o editorial. “Igualmente fragilizados estão os 6,3 milhões de pequenos e médios empresários (PMEs), diz o jornal da família Marinho.  

“Juntas, essas pequenas e médias empresas são responsáveis por 52% dos empregos com carteira assinada no setor privado. Ou seja, constituem a fonte básica de renda para mais de 16 milhões de trabalhadores na economia formal, em todo o país”, acrescenta.

“A crise está expondo a inoperância governamental em sua plenitude. Falha o prometido socorro às micro, pequenas e médias empresas, e malogra a assistência aos economicamente mais vulneráveis. Antes da surpresa pandêmica, a burocracia impôs uma fila a dois milhões de pessoas com direito à aposentadoria. Com a disseminação do vírus criou-se outra fila, de dezenas de milhões, nos guichês da Caixa Econômica Federal”, observa o texto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247