Parlamentares acusados de fake news dizem ao STF que não vão depor

247 - Dos seis deputados federais que foram chamados a depor sobre a divulgação de notícias falsas, cinco não pretendem ir. Alguns já informaram ao próprio Supremo Tribunal Federal (STF) que não irão comparecer. "Informei que não irei. Diante das flagrantes ilegalidades, inconstitucionalidades e prerrogativas violadas. Ademais, está pendente de julgamento nossos HC (habeas corpus) e agora [Dias] Toffoli [presidente do STF] marcou data para o plenário avaliar o inquérito", afirmou o deputado Filipe Barros. A reportagem é do portal CCN Brasil. 

O julgamento está marcado para a próxima quarta-feira (10), antes do feriado. Em vídeo publicado na internet, o deputado Daniel Silveira também criticou a investigação. "Se eu sou um dos autuados, se eu fui citado, mencionado, intimado, eu preciso saber do que se trata para que eu possa montar minha defesa." Silveira se refere ao ministro Alexandre de Moraes, relator do caso no STF, como "Torquemada", um frade conhecido como Grande Inquisidor, do século XV. 

Já o deputado Junio Amaral disse que o inquérito é ilegal. 

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) afirmou que não vai prestar depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira (2). A deputada também negou que tenha sido notificada oficialmente pela Justiça sobre o depoimento. 

A única parlamentar a dizer que irá depor, a deputada federal Carla Zambelli está com depoimento marcado para quinta-feira (4).

Receber notificações do Brasil 247. Inscreva-se.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.