Paulo Coelho diz que homem da mala trata brasileiros como idiotas

Escritor Paulo Coelho criticou nesta quinta-feira, 27, o ex-deputado e homem da mala de Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR); "Não basta roubar; é preciso também tratar todo mundo como idiota", afirmou o escritor em sua página no Twitter; ele compartilhou reportagem do Poder360 com o advogado de Rocha Loures, em que ele classifica como ilegal o flagrante da Polícia Federal do assessor de Temer recebendo a mala com R$ 500 mil

Escritor Paulo Coelho criticou nesta quinta-feira, 27, o ex-deputado e homem da mala de Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR); "Não basta roubar; é preciso também tratar todo mundo como idiota", afirmou o escritor em sua página no Twitter; ele compartilhou reportagem do Poder360 com o advogado de Rocha Loures, em que ele classifica como ilegal o flagrante da Polícia Federal do assessor de Temer recebendo a mala com R$ 500 mil
Escritor Paulo Coelho criticou nesta quinta-feira, 27, o ex-deputado e homem da mala de Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR); "Não basta roubar; é preciso também tratar todo mundo como idiota", afirmou o escritor em sua página no Twitter; ele compartilhou reportagem do Poder360 com o advogado de Rocha Loures, em que ele classifica como ilegal o flagrante da Polícia Federal do assessor de Temer recebendo a mala com R$ 500 mil (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O escritor Paulo Coelho criticou nesta quinta-feira, 27, o ex-deputado e homem da mala de Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

"Não basta roubar; é preciso também tratar todo mundo como idiota", afirmou o escritor em sua página no Twitter. Ele compartilhou reportagem do Poder360 com o advogado de Rocha Loures, em que ele classifica como ilegal o flagrante da Polícia Federal do assessor de Temer recebendo a mala com R$ 500 mil. 

Leia um trecho da reportagem:

A "armadilha" preparada por Joesley Batista –com ou sem conhecimento do MP–, que golpeou o Presidente da República não pode ser, tecnicamente, classificada como "ação controlada" (art. 8º da Lei 12.850/13), na medida em que se amolda, como uma luva, ao denominado "flagrante provocado", o qual, segundo doutrina e jurisprudência [1], é absolutamente ilegal, por ser ardiloso, fraudulento e representar uma espécie de tocaia aplicada pela autoridade investigadora com finalidade de criminalizar alguém. Neste, no flagrante provocado, ao contrário do que ocorre no flagrante preparado, repetindo, há a atuação decisiva do "agente provocador", que cria uma situação fantasiosa com a finalidade de induzir o investigado a erro, para fazê-lo infringir a lei penal e incriminá-lo, exatamente como ocorreu no presente caso. 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247