PF acusa Duvivier de orientar hacker de Araraquara

No relatório final sobre a operação Spoofing, a Polícia Federal acusou o humorista e escritor Gregório Duvivier de trocar mensagens com o hacker Walter Delgatti Neto e de orientá-lo a invadir os celulares do governador Wilson Witzel, do juiz Marcelo Bretas e de “chefões da Globo”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No relatório final sobre a operação Spoofing, a Polícia Federal acusou o humorista e escritor Gregório Duvivier de trocar mensagens com o hacker Walter Delgatti Neto e de orientá-lo a invadir os celulares do governador Wilson Witzel, do juiz Marcelo Bretas e de “chefões da Globo”.

“Walter diz que ‘tem bastante’ e que ‘pega 50 por dia e acaba não lendo’. Diz que pegou muita gente da Globo que não havia ‘pegado’ o aplicativo do Bonner, porém não havia mensagens porque era tudo apagado, sendo que ‘muita gente’ tinha o costume de apagar as mensagens”, diz trecho do relatório, divulgado pelo site O Antagonista

Segundo a PF, “Gregório ainda sugere nomes como Ali Kamel, Carlos Henrique Schroeder e afirma que ‘isso poderia ser bem forte’, bem como fala que Witzel e Bretas poderiam ser alvos”. “Witzel e Bretas seria legal tb”. 

Em depoimento à PF, Gregório Duvivier alegou que “em nenhum momento solicitou ou sugeriu ao hacker que invadisse a conta de Telegram de qualquer pessoa, tendo apenas perguntado por curiosidade, se ele tinha em seu material conteúdo de contas do Telegram já baixados de uma série de pessoas conhecidas”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247