Procurador vê improbidade administrativa em saudação a Bolsonaro em jogo do Brasil

Durante o jogo, transmitido pela estatal TV Brasil, o narrador André Marques mandou "um abraço especial" a Bolsonaro. O procurador Carlos Alberto Vilhena vê nisso um ato de promoção pessoal de agentes públicos e desvio de finalidade

Narrador bajula Bolsonaro no jogo Peru x Brasil pelas Eliminatórias da Copa de 2022
Narrador bajula Bolsonaro no jogo Peru x Brasil pelas Eliminatórias da Copa de 2022 (Foto: Reprodução (Youtube) / Isac Nóbrega - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador federal dos Direitos do Cidadão, Carlos Alberto Vilhena, do Ministério Público Federal (MPF), vê improbidade administrativa na saudação feita a Jair Bolsonaro durante a transmissão da partida entre Brasil e Peru pela estatal TV Brasil em 13 de outubro, conforme noticiou o colunista Mauricio Stycer, do UOL.

Para ele, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) tem que guardar respeito aos princípios da impessoalidade e da moralidade. Durante o jogo, o narrador André Marques mandou "um abraço especial" a Bolsonaro. Vilhena vê nisso um ato de promoção pessoal de agentes públicos e desvio de finalidade.

Vilhena determinou o encaminhamento da representação à unidade do MPF que atua em primeira instância no Distrito Federal para apuração dos fatos. O documento afirma que a Constituição prevê que "atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverão ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, deles não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247