'PSDB e DEM erram ao dar novo abraço em Cunha'

Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 8, a reaproximação com Eduardo Cunha de partidos da oposição como PSDB e DEM, liderados por Carlos Sampaio e Mendonça Filho; "A oposição erra ao dar um novo abraço em Eduardo Cunha. Quando o PSDB e o DEM se aliam ao presidente da Câmara, enfraquecem a possibilidade de impeachment", afirma; para ele, Cunha é um mau advogado do impeachment, porque seus atos estão contaminados pelo interesse em jogar para o segundo plano as graves acusações de corrupção que pesam contra ele

Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 8, a reaproximação com Eduardo Cunha de partidos da oposição como PSDB e DEM, liderados por Carlos Sampaio e Mendonça Filho; "A oposição erra ao dar um novo abraço em Eduardo Cunha. Quando o PSDB e o DEM se aliam ao presidente da Câmara, enfraquecem a possibilidade de impeachment", afirma; para ele, Cunha é um mau advogado do impeachment, porque seus atos estão contaminados pelo interesse em jogar para o segundo plano as graves acusações de corrupção que pesam contra ele
Jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 8, a reaproximação com Eduardo Cunha de partidos da oposição como PSDB e DEM, liderados por Carlos Sampaio e Mendonça Filho; "A oposição erra ao dar um novo abraço em Eduardo Cunha. Quando o PSDB e o DEM se aliam ao presidente da Câmara, enfraquecem a possibilidade de impeachment", afirma; para ele, Cunha é um mau advogado do impeachment, porque seus atos estão contaminados pelo interesse em jogar para o segundo plano as graves acusações de corrupção que pesam contra ele (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Kennedy Alencar criticou nesta terça-feira, 8, a reaproximação de partidos da oposição como PSDB e DEM do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), por conta do processo de impeachment, deflagrado por ele, contra a presidente Dilma Rousseff.

"A oposição erra ao dar um novo abraço em Eduardo Cunha. Quando o PSDB e o DEM se aliam ao presidente da Câmara, enfraquecem a possibilidade de impeachment. Do ponto de vista político, isso permite ao governo apontar o interesse de Cunha em postergar a análise do seu processo de cassação. Juridicamente, pode dar argumento a um intervenção jurídica no rito do processo de impeachment", afirma Kennedy.

Para ele, Cunha é um mau advogado do impeachment, porque seus atos estão contaminados pelo interesse em jogar para o segundo plano as graves acusações de corrupção que pesam contra ele. "Cunha aceitou o pedido de impeachment em retaliação à recusa do PT de salvá-lo no Conselho de Ética da Câmara. Ontem, rompeu um acordo que havia sido feito na semana passada porque viu que os líderes partidários estavam indicando deputados mais afinados com o Palácio do Planalto", diz o colunista. 

Leia na íntegra o comentários de Kennedy Alencar. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247