Que tal avaliar a qualidade de sua internet?

Anatel obriga todas as operadores a disponibilizar software que mede o nvel da conexo dos internautas brasileiras

Que tal avaliar a qualidade de sua internet?
Que tal avaliar a qualidade de sua internet? (Foto: Divulgação)

Jeny Fernandez para o 247 – Em 1995, os ministérios das Comunicações e da Ciência e Tecnologia liberaram o comércio de provedores de internet a um preço bem alto no Brasil. Na época, a velocidade máxima de uma boa conexão era de 56 kbPS (kilobytes por segundo). Era pouco significativa a parcela da população que podia arcar com os gastos da compra de um modem e da contratação de uma operadora. Pagar um preço tão alto não era garantia de bom serviço; volta e meia, a conexão caia, deixando os internautas furiosos.

Hoje, a situação mudou bastante: muitos lares brasileiros têm acesso à rede, seja por banda larga, via modem ou WiFi. Ainda assim, a qualidade dessa internet é questionável. A banda larga não é assim tão larga. E o aumento no número de clientes pesou para as operadoras. É frequente o aparecimento de problemas como: congestionamentos na banda que provocam lentidão em determinados horários; impossibilidade de implantação de uma banda maior; custo muito alto para internet de baixa velocidade; internet que continua “caindo” etc. Além disso, a reclamação clássica é: o consumidor não pode usufruir totalmente da velocidade que foi anunciada na propaganda e se sente lesado financeiramente.

Para dar enfim um basta aos tormentos de internautas que se arrastam já por duas décadas, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou uma importante resolução. A partir deste mês, todas as operadoras deverão disponibilizar aos consumidores um software de medição da qualidade da internet. Assim, Oi, Embratel, GVT, Telefônica, NET, CTBC Telecom, Sercomtel e CaboTelecom deverão oferecer em seu site esse programa que visa a “promover a progressiva melhoria da experiência do usuário em aspectos relacionados ao atendimento e ao desempenho das conexões de banda larga fixa”.

Esses consumidores poderão ter acesso aos resultados para se orientar a respeito da velocidade de sua internet. As operadoras deverão ainda disponibilizar uma cartilha indicando os parâmetros de conexão, velocidade e o uso correto do software. A empresa PriceWaterhouse Coopers será responsável por aferir os serviços de banda larga de acordo com os parâmetros determinados pela Anatel.

“As medições do software não gerarão punição automática para as operadoras, mas servirão de subsídio para reclamação do consumidor. Isso porque há a alegação de que problemas no computador podem afetar a medição – vírus, processador lento, entre outras questões”, explica Veridiana Alimonti, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Dessa maneira, o internauta se torna mais ciente da banda que a operadora está disponibilizando e poderá utilizar essas informações para comprovar suas reclamações.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247