Reinaldo faz novo apelo por doações privadas

Blogueiro neoconservador afirma que, sem o dinheiro de grandes empresas, o sistema político migrará para a clandestinidade e para o caixa dois; ele também ataca o ministro Luís Roberto Barroso, do STF

Blogueiro neoconservador afirma que, sem o dinheiro de grandes empresas, o sistema político migrará para a clandestinidade e para o caixa dois; ele também ataca o ministro Luís Roberto Barroso, do STF
Blogueiro neoconservador afirma que, sem o dinheiro de grandes empresas, o sistema político migrará para a clandestinidade e para o caixa dois; ele também ataca o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O blogueiro neoconservador Reinaldo Azevedo continua em campanha pelas doações privadas de campanha, que podem ser extintas caso o Supremo Tribunal Federal confirme a Ação Direta de Inconstitucionalidade movida pela Ordem dos Advogados do Brasil – até agora, o financiamento público vai vencendo por quatro votos a zero. 

Segundo Reinaldo, sem as doações legais, a política será dominada pelo caixa dois. "O ano começa com o STF prestes a jogar o sistema político na clandestinidade. Quatro ministros já acolheram a Ação Direta de Inconstitucionalidade que quer proibir a doação de empresas a campanhas eleitorais. Se acontecer, as contribuições hoje ilegais assim continuarão. E boa parte das legais migrará para o crime", diz ele, na coluna "MSL - O Movimento dos Sem-Lei" (leia aqui).

No texto, ele também acusa o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, de agir fora da lei. Em contraposição ao grito de Reinaldo, leia aqui o artigo de Marcus Vinícius Furtado, presidente da OAB, contra as doações privadas de campanha.


Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247