Russos reagem a decisão do Canadá de barrar agências noticiosas em reunião

A editora-chefe da agência Rossiya Segodnya, Margarita Simonyan, comentou a recusa do Canadá a conceder credenciamento à RIA Novosti e à Sputnik para a reunião ministerial do Grupo Lima na segunda-feira (4); a reunião ministerial foi realizada em Ottawa. Ambas as agências tiveram o credenciamento negado

Russos reagem a decisão do Canadá de barrar agências noticiosas em reunião
Russos reagem a decisão do Canadá de barrar agências noticiosas em reunião

247, com Sputnik - A editora-chefe da agência Rossiya Segodnya, Margarita Simonyan, comentou a recusa do Canadá a conceder credenciamento à RIA Novosti e à Sputnik para a reunião ministerial do Grupo Lima na segunda-feira (4); a reunião ministerial foi realizada em Ottawa. Ambas as agências tiveram o credenciamento negado.

"Parece que fomos ingênuos em acreditar que a liberdade de imprensa era um valor consolidado no Canadá, e não um privilégio concedido arbitrariamente apenas àqueles que cordial e inquestionavelmente papagueassem a linha do governo, nunca trazendo fatos e histórias inconvenientes. Lição aprendida — e não apenas por nós, mas por qualquer um que possa ousar fazer perguntas difíceis neste país: se essa atitude é representativa da abordagem 'democrática' que supostamente garante o futuro seguro, estável e próspero da Venezuela, então que Deus nos ajude", disse Simonyan à Sputnik.

Quando convidado pela Sputnik a explicar a decisão, o porta-voz do ministério canadense, Richard Walker, disse que a agência "não foi cordial" com a chanceler canadense Chrystia Freeland no passado.

No domingo, a rede de televisão Telesur, sediada na Venezuela, disse que também teve negado o acesso à reunião do Grupo Lima pelo governo canadense, que não forneceu nenhuma explicação para a decisão

.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247