Sakamoto: Aécio pede R$ 2 mi para JBS e, depois, se finge de mané

"Só alguém muito desesperado é capaz de declarar-se 'café-com-leite' como artifício de defesa diante de um escândalo de corrupção", diz o jornalista Leonardo Sakamoto, para quem "o cinismo adotado por Aécio constrange"

"Só alguém muito desesperado é capaz de declarar-se 'café-com-leite' como artifício de defesa diante de um escândalo de corrupção", diz o jornalista Leonardo Sakamoto, para quem "o cinismo adotado por Aécio constrange"
"Só alguém muito desesperado é capaz de declarar-se 'café-com-leite' como artifício de defesa diante de um escândalo de corrupção", diz o jornalista Leonardo Sakamoto, para quem "o cinismo adotado por Aécio constrange" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - '"Fui ingênuo', cometi erros e me penitencio diariamente por eles. Mas não cometi nenhuma ilegalidade'. Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, desta segunda (16), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recorreu novamente ao artifício da imaculada inocência para justificar sua relação incestuosa com o dono da JBS", reforça o jornalista Leonardo Sakamoto, lembrando que o Supremo Tribunal decide nesta terça-feira (17) se aceita a denúncia contra o tucano, gravado pedindo propina de R$ 2 milhões para o empresário Joesley Batista, da JBS.

De acordo com o blogueiro, "só alguém muito desesperado é capaz de declarar-se 'café-com-leite' como artifício de defesa diante de um escândalo de corrupção".

"Utilizar a ingenuidade é uma espécie de recurso arriscado porque parte do país pode até cair no conto de políticos 'mal informados', mas a maioria não aceita aqueles que se declaram fracos e passíveis de serem envolvidos em conversas moles durante os exercícios de seus mandatos. Ou seja, não querem um ''mané'' os representando", diz. "O cinismo adotado por Aécio constrange. E pior do que termos que engolir a questão ética, sua representação canastrã da ''ingenuidade'' é algo esteticamente imperdoável".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247