Sakamoto: Ao atacar repórter, Bolsonaro reitera sua incapacidade de diálogo

De acordo com o jornalista, "ações irresponsáveis como essas têm o objetivo de fomentar um estado de apreensão constante, fundamental para que a base do bolsonarismo mantenha-se coesa e orientada a permanecer nas guerras cultural e política"; "Bolsonaro precisa estar constantemente criando inimigos para manter de pé esse apoio"

Sakamoto: Ao atacar repórter, Bolsonaro reitera sua incapacidade de diálogo
Sakamoto: Ao atacar repórter, Bolsonaro reitera sua incapacidade de diálogo (Foto: Dir.: Marcos Corrêa - PR)

247 - Em sua coluna no Uol, o jornalista Leonardo Sakamoto critica o presidente Jair Bolsonaro, que agrediu a repórter do jornal Folha de S.Paulo Marina Dias, após ser questionado sobre o corte de verba na Educação - chefe do Planalto afirmou que a Folha não pode contratar "qualquer uma". Segundo ele, a jornalista tinha que entrar de novo "numa faculdade que presta e fazer bom jornalismo".

De acordo com Sakamoto, "ações irresponsáveis como essas têm o objetivo de fomentar um estado de apreensão constante, fundamental para que a base do bolsonarismo mantenha-se coesa e orientada a permanecer nas guerras cultural e política". "Bolsonaro precisa estar constantemente criando inimigos para manter de pé esse apoio".

"E a perseguição é sempre mais violenta quando o alvo são mulheres, quando o ataque também ganha cunho sexual. Todo esse processo de ataque a profissionais de imprensa se assemelha à tortura – instrumento de trabalho pelo finado coronel Brilhante Ustra, assassino da ditadura militar, apontado como herói por Bolsonaro". "Não para que o jornalista em questão seja punido pelo que fez, mas para que, traumatizado, nunca mais tenha coragem de tratar do candidato novamente. Com isso, o presidente vai torturando a democracia, reduzindo-a cotidianamente", acrescenta.

O colunista afirma que "o respeito aos jornalistas, sejam eles de veículos tradicionais ou alternativos, mídia grande ou pequena, liberal ou conservadora, segue sendo um dos pilares da democracia". "Sem uma imprensa livre, os poderes político e econômico estariam bem à vontade para fazer o que desejassem. Além disso, e não menos importante: jornalistas são trabalhadores e não devem ser vítimas de assédio ou violência no exercício de sua profissão".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

 

 

 

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247