Sakamoto: caro ministro, governo é que protege o crime com a falida guerras às drogas

O jornalista Leonardo Sakamoto afirma que, "nem bem assumiu o novo Ministério da Segurança Pública e Raul Jungmann já mostrou que, se depender dele, nada vai mudar na estrutura que sustenta o crime organizado no País"; "Baseado em um raciocínio superficial (ótimo para incendiar os incautos, péssimo para construir soluções), ele responsabilizou usuários de drogas pela violência, afirmando que financiam a criminalidade", diz; "O combate ao tráfico gera mais mortos que o consumo de drogas"

O jornalista Leonardo Sakamoto afirma que, "nem bem assumiu o novo Ministério da Segurança Pública e Raul Jungmann já mostrou que, se depender dele, nada vai mudar na estrutura que sustenta o crime organizado no País"; "Baseado em um raciocínio superficial (ótimo para incendiar os incautos, péssimo para construir soluções), ele responsabilizou usuários de drogas pela violência, afirmando que financiam a criminalidade", diz; "O combate ao tráfico gera mais mortos que o consumo de drogas"
O jornalista Leonardo Sakamoto afirma que, "nem bem assumiu o novo Ministério da Segurança Pública e Raul Jungmann já mostrou que, se depender dele, nada vai mudar na estrutura que sustenta o crime organizado no País"; "Baseado em um raciocínio superficial (ótimo para incendiar os incautos, péssimo para construir soluções), ele responsabilizou usuários de drogas pela violência, afirmando que financiam a criminalidade", diz; "O combate ao tráfico gera mais mortos que o consumo de drogas" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O jornalista Leonardo Sakamoto afirma que, "nem bem assumiu o novo Ministério da Segurança Pública e Raul Jungmann já mostrou que, se depender dele, nada vai mudar na estrutura que sustenta o crime organizado no país"." Baseado em um raciocínio superficial (ótimo para incendiar os incautos, péssimo para construir soluções), ele responsabilizou usuários de drogas pela violência, afirmando que financiam a criminalidade", diz.

De acordo com o blogueiro, o ministro "optou pela saída fácil quando deveria ter encarado de frente um tema duro, mas fundamental: o fim da política atual de 'guerra às drogas', que se mostrou incapaz de combater o problema".

"O combate ao tráfico gera mais mortos que o consumo de drogas – até porque a droga que, estatisticamente, mais mata e provoca mortes é legal e se chama álcool. E é uma pena que os governos, em momentos como este, não façam nenhum comentário sobre ela. Pelo contrário, os veículos de comunicação sempre tratam com deferência o homem mais rico do Brasil, que faz fortuna produzindo, distribuindo e convencendo pessoas a usarem álcool diariamente".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247