Sakamoto: como Temer, aprovado por 3%, ainda é presidente?

O jornalista Leonardo Sakamoto questiona como é possível que Michel Temer, que tem apenas 3% de aprovação, segundo pesquisa Ibope divulgada nessa quinta-feira, 28, ainda ocupe o Palácio do Planalto; "Quando instituições estão esgarçadas e desacreditadas, a melhor maneira de reestabelecer o equilíbrio seria devolver ao povo o direito de escolher diretamente um novo mandatário para governá-lo", diz o jornalista; "Ao que tudo indica, isso não deve acontecer, por falta de consenso político, por falta de melhor opção, por falta de mobilização e projetos alternativos, por muitos terem perdido a fé no país, por um grupo menor 3%, mas poderoso, estar ganhando muito com tudo isso. Manter Temer vivo por aparelhos pode nos custar nossa já pálida democracia"

O jornalista Leonardo Sakamoto questiona como é possível que Michel Temer, que tem apenas 3% de aprovação, segundo pesquisa Ibope divulgada nessa quinta-feira, 28, ainda ocupe o Palácio do Planalto; "Quando instituições estão esgarçadas e desacreditadas, a melhor maneira de reestabelecer o equilíbrio seria devolver ao povo o direito de escolher diretamente um novo mandatário para governá-lo", diz o jornalista; "Ao que tudo indica, isso não deve acontecer, por falta de consenso político, por falta de melhor opção, por falta de mobilização e projetos alternativos, por muitos terem perdido a fé no país, por um grupo menor 3%, mas poderoso, estar ganhando muito com tudo isso. Manter Temer vivo por aparelhos pode nos custar nossa já pálida democracia"
O jornalista Leonardo Sakamoto questiona como é possível que Michel Temer, que tem apenas 3% de aprovação, segundo pesquisa Ibope divulgada nessa quinta-feira, 28, ainda ocupe o Palácio do Planalto; "Quando instituições estão esgarçadas e desacreditadas, a melhor maneira de reestabelecer o equilíbrio seria devolver ao povo o direito de escolher diretamente um novo mandatário para governá-lo", diz o jornalista; "Ao que tudo indica, isso não deve acontecer, por falta de consenso político, por falta de melhor opção, por falta de mobilização e projetos alternativos, por muitos terem perdido a fé no país, por um grupo menor 3%, mas poderoso, estar ganhando muito com tudo isso. Manter Temer vivo por aparelhos pode nos custar nossa já pálida democracia" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Leonardo Sakamoto questiona como é possível que Michel Temer, que tem apenas 3% de aprovação, segundo pesquisa Ibope divulgada nessa quinta-feira, 28, ainda ocupe o Palácio do Planalto. 

"Essa aprovação ridícula é menor que os 5% que ele havia ostentado na última pesquisa Ibope, de 27 de julho, quando realizou a façanha de bater o índice da impedida Dilma Rousseff (9%) e do hiperinflacionário José Sarney (7%)", lembra Sakamoto. 

Para o colunista do UOL, diante de números como os divulgados pelo Ibope, o governo Temer adotou o ''foda-se'' como política. "Afinal, ele não precisa tentar agradar o eleitorado. Sabe que não será reeleito e, ao final de seu mandato, pode até ser processado e preso por corrupção. Por isso, se esforça em manter a simpatia do grande empresariado e da maioria do Congresso Nacional para chegar até final do mandato", diz Sakamoto. 

"Quando instituições estão esgarçadas e desacreditadas, a melhor maneira de reestabelecer o equilíbrio seria devolver ao povo o direito de escolher diretamente um novo mandatário para governá-lo. Ao que tudo indica, isso não deve acontecer, por falta de consenso político, por falta de melhor opção, por falta de mobilização e projetos alternativos, por muitos terem perdido a fé no país, por um grupo menor 3%, mas poderoso, estar ganhando muito com tudo isso. Manter Temer vivo por aparelhos pode nos custar nossa já pálida democracia", diz o jornalista. 

Leia na íntegra o texto de Leonardo Sakamoto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247