Sakamoto: incêndio em SP é fruto da omissão do poder público em políticas de moradia

"O poder público não risca o fósforo, gera o curto-circuito ou entulha o lixo que foi combustível da desgraça. Mas sua incompetência em resolver o déficit habitacional urbano armou uma grande fogueira pronta para queimar", diz o jornalista Leonardo Sakamoto

"O poder público não risca o fósforo, gera o curto-circuito ou entulha o lixo que foi combustível da desgraça. Mas sua incompetência em resolver o déficit habitacional urbano armou uma grande fogueira pronta para queimar", diz o jornalista Leonardo Sakamoto
"O poder público não risca o fósforo, gera o curto-circuito ou entulha o lixo que foi combustível da desgraça. Mas sua incompetência em resolver o déficit habitacional urbano armou uma grande fogueira pronta para queimar", diz o jornalista Leonardo Sakamoto (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "Os governos federal, estadual e municipal – não apenas as atuais gestões, mas também a maioria das anteriores – são corresponsáveis pelo incêndio do prédio de 24 andares ocupado no Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, na madrugada desta terça (1)", diz o jornalista Leonardo Sakamoto.

De acordo com o blogueiro, "o poder público não risca o fósforo, gera o curto-circuito ou entulha o lixo que foi combustível da desgraça. Mas sua incompetência em resolver o déficit habitacional urbano armou uma grande fogueira pronta para queimar".

"Ainda verifica-se o número de mortos e desaparecidos entre as 150 famílias ali cadastradas, mas por muito pouco não tivemos uma tragédia de grandes proporções. Os moradores afirmam que perderam o pouco que tinham. Desde que o prédio foi ao chão, autoridades já reclamaram da demora da Justiça em conceder reintegração de posse do edifício ao governo federal ou criticaram veladamente os moradores por continuarem naquele espaço apesar do risco".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247