Sakamoto sobre declaração de Janot: é uma vergonha

O jornalista Leonardo Sakamoto fez referência à declaração do ex-chefe da PGR de que foi ao STF armado para tentar matar o ministro Gilmar Mendes em 2017. "Janot, com essas declarações, é a antítese do espírito da Constituição Federal de 1988', diz. "É uma vergonha essa situação vinda de alguém que prometeu representar o interesse público"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Leonardo Sakamoto avalia que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot "estimulou um rosário de brasileiros frustrados e violentos a continuarem tomando caminho igual para resolverem seus problemas". O colunista do Uol fez referência à declaração do ex-chefe da PGR de que foi ao Supremo Tribunal Federal armado para tentar matar o ministro Gilmar Mendes em 2017.

"Janot, com essas declarações, é a antítese do espírito da Constituição Federal de 1988, em que buscamos construir um país capaz de fugir das medidas violentas e autoritárias que vigoraram durante a ditadura, um país capaz de resolver os problemas pelo diálogo. É uma vergonha essa situação vinda de alguém que prometeu representar o interesse público", critica.

"E havia outras formas de jogar sua biografia na lata do lixo, não sendo necessário arrastar um naco da sociedade junto com ele. Com isso, estimula um dos países mais violentos do mundo, em que parte da população resolve suas diferenças na bala ou na ponta da faca, a buscar alternativas que estejam fora do Estado Democrático de Direito".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email