Temer sugere que foi “obrigado a trair”, diz colunista do Globo

"Vejo, nas entrelinhas, uma velha estratégia masculina de inverter culpa e sugerir que foi 'obrigado a trair'", escreve Flávia Oliveira sobre a carta do vice à presidente Dilma Rousseff; ela questiona ainda: "Se há cinco anos o vice se sente desrespeitado pela presidente, por que aceitou encabeçar com ela a chapa da reeleição?"; para ela, "claramente, o vice abraça a possibilidade de assumir a Presidência"

"Vejo, nas entrelinhas, uma velha estratégia masculina de inverter culpa e sugerir que foi 'obrigado a trair'", escreve Flávia Oliveira sobre a carta do vice à presidente Dilma Rousseff; ela questiona ainda: "Se há cinco anos o vice se sente desrespeitado pela presidente, por que aceitou encabeçar com ela a chapa da reeleição?"; para ela, "claramente, o vice abraça a possibilidade de assumir a Presidência"
"Vejo, nas entrelinhas, uma velha estratégia masculina de inverter culpa e sugerir que foi 'obrigado a trair'", escreve Flávia Oliveira sobre a carta do vice à presidente Dilma Rousseff; ela questiona ainda: "Se há cinco anos o vice se sente desrespeitado pela presidente, por que aceitou encabeçar com ela a chapa da reeleição?"; para ela, "claramente, o vice abraça a possibilidade de assumir a Presidência" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em uma análise sobre a carta do vice-presidente, Michel Temer, à presidente Dilma Rousseff, "vazada" à imprensa na noite desta segunda-feira, a jornalista Flávia Oliveira, colunista do jornal O Globo e comentarista na Globonews, afirma ver, "nas entrelinhas, uma velha estratégia masculina de inverter culpa e sugerir que foi 'obrigado a trair'".

Flávia questiona ainda: "Se há cinco anos o vice se sente desrespeitado pela presidente, por que aceitou encabeçar com ela a chapa da reeleição?". "E, tendo feito, esperou pela mais grave crise institucional para desembarcar do governo e despejar suas mágoas", comenta. Para ela, "claramente, o vice abraça a possibilidade de assumir a Presidência".

Leia abaixo a íntegra do texto, publicado em sua página no Facebook:

REFLEXÕES NA MADRUGADA INSONE

"Sempre tive ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB", escreveu Michel Temer na carta à Dilma, revelada pelo craque Jorge Bastos Moreno. E eram confiáveis o vice e seu partido? A carta repleta de mágoas me causou algumas impressões:

 

1) Temer escancarou a importância da distribuição de cargos nesse já carcomido sistema de presidencialismo de coalizão. Há pelo menos três parágrafos com referências a nomeações e distribuição de emendas. Tenho a impressão de que já fomos mais discretos (ou cinicos).

2) O vice ameaça Dilma, apresentando-se como o nome capaz de unificar o país, já que seria o único a dialogar com a oposição. Não é à toa que ele cita DEM, PSB e PV, legendas com colorações ideológicas variadas. Temer se coloca como herói do impeachment, para aglutinar o apoio de quem se sente desconfortável com as manobras de Eduardo Cunha. Vai ser difícil acreditar na imagem legalista que o vice gosta de exibir publicamente.

3) Se há cinco anos o vice se sente desrespeitado pela presidente, por que aceitou encabeçar com ela a chapa da reeleição? E, tendo feito, esperou pela mais grave crise institucional para desembarcar do governo e despejar suas mágoas. Claramente, o vice abraça a possibilidade de assumir a Presidência. Sublinha, inclusive, seu programa econômico, que sugere ter respaldo da sociedade.

3) Vejo, nas entrelinhas, uma velha estratégia masculina de
inverter culpa e sugerir que foi "obrigado a trair". (Esta é uma observação de gênero. Muitos não entenderão.)

4) Por fim, como se diz nos procedimentos de emergência da aviação: "Em caso de despressurização, máscaras cairão"... No Brasil, agora, está tudo às claras, sem máscaras. É questão de escolher o lado.
‪#‎sigamos‬

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247