Tijolaço: a política tomou conta da PF, do MP e de quem mais?

"Como se vê, nossas instituições estão funcionando normalmente, com a isenção e o o profissionalismo que todos esperamos delas", comenta o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, sobre a possibilidade de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estar de olho na presidência em 2018, conforme nota publicada neste fim de semana pela colunista Vera Magalhães

18/03/2015- Brasília- DF, Brasil- Entrevista coletiva do procurador-geral, Rodrigo Janot (dir.) e com o procurador-geral da Suiça, Michael Lauber, sobre as investigações da Operação Lava Jato, em Brasília.
18/03/2015- Brasília- DF, Brasil- Entrevista coletiva do procurador-geral, Rodrigo Janot (dir.) e com o procurador-geral da Suiça, Michael Lauber, sobre as investigações da Operação Lava Jato, em Brasília. (Foto: Gisele Federicce)

Por Fernando Brito, do Tijolaço

A nota aí de cima é da coluna Radar, da Veja.

Mostra a nova atribuição da Polícia Federal: a de descobrir quem é ou quem pode ser candidato em eleições presidenciais.

E, se for verdade, outra novidade, o posto máximo de fiscal da lei ser usado como trampolim eleitoral.

Infelizmente, a degradação da vida brasileira chegou a um ponto em que não se pode duvidar de nenhuma das duas hipóteses.

Como se vê, nossas instituições estão funcionando normalmente, com a isenção e o o profissionalismo que todos esperamos delas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247