Tijolaço: não festeje, Temer. Acharam o apartamento-cofre de Geddel

"É bom suspender a encomenda de champagne do Palácio do Planalto para comemorar o 'sorvete na testa' de Rodrigo Janot. Na Semana da 'Flechada Final', ao que parece, tem muito para acontecer", diz o jornalista Fernando Brito ao comentar a "montanha" de dinheiro descoberta pela PF em apartamento ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima; "É a reviravolta da reviravolta, em menos de 24 horas. E, sem dúvida, a imagem do dia, que vai falar mais alto que os diálogos abandidados de Joesley Batista", diz Brito

geddel dinheiro
geddel dinheiro (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - É bom suspender a encomenda de champagne do Palácio do Planalto para comemorar o “sorvete na testa” de Rodrigo Janot.

Na Semana da “Flechada Final”, ao que parece, tem muito para acontecer.

A descoberta de uma – literalmente – montanha de dinheiro num apartamento da  Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça, em Salvador, que havia sido emprestado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima recolocou Temer debaixo de fogo.

Daqui a pouco deve-se ter o valor, mas tudo indica que é a casa de dezenas de milhões de reais.

Coisa de fazer as malas de Rocha Loures e Aécio Neves parecerem “pochetes”.

Grana que Geddel, com certeza, não ganhou vendendo acarajé.

Geddel, ao contrário de Cunha, não deu sumiço no que recebeu em dinheiro vivo e a razão mais provável para isso é que tinha de repassar e, com a delação da JBS, deve ter ouvido um “guenta aí”.

É a reviravolta da reviravolta, em menos de 24 horas.

E, sem dúvida, a imagem do dia, que vai falar mais alto que os diálogos abandidados de Joesley Batista.

O Jornal Nacional vai ser uma festa até na China.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247