Tijolaço: 'Quanto mais Kimzinho fala, menos se acredita nele'

Jornalista Fernando Brito, editor do Tijolaço, criticou a entrevista do líder do movimento golpista Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, neste domingo, 27, na Folha; Kim produziu um "milagre", segundo Brito: 'Conseguiu a proeza dificílima de ser criticado e ridicularizado por uns 80% dos comentaristas' da reportagem, normalmente adeptos de críticas ao governo e ao PT; "de original, mesmo, só a defesa de Eduardo Cunha. Para ele, "não tem uma prova que diga que Eduardo Cunha é corrupto. Ele não foi julgado e condenado", diz Brito; "Kimzinho, como tudo o que é vazio, quando mais fala menos se acredita no que ele diz"; leia íntegra

Jornalista Fernando Brito, editor do Tijolaço, criticou a entrevista do líder do movimento golpista Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, neste domingo, 27, na Folha; Kim produziu um "milagre", segundo Brito: 'Conseguiu a proeza dificílima de ser criticado e ridicularizado por uns 80% dos comentaristas' da reportagem, normalmente adeptos de críticas ao governo e ao PT; "de original, mesmo, só a defesa de Eduardo Cunha. Para ele, "não tem uma prova que diga que Eduardo Cunha é corrupto. Ele não foi julgado e condenado", diz Brito; "Kimzinho, como tudo o que é vazio, quando mais fala menos se acredita no que ele diz"; leia íntegra
Jornalista Fernando Brito, editor do Tijolaço, criticou a entrevista do líder do movimento golpista Brasil Livre (MBL), Kim Kataguiri, neste domingo, 27, na Folha; Kim produziu um "milagre", segundo Brito: 'Conseguiu a proeza dificílima de ser criticado e ridicularizado por uns 80% dos comentaristas' da reportagem, normalmente adeptos de críticas ao governo e ao PT; "de original, mesmo, só a defesa de Eduardo Cunha. Para ele, "não tem uma prova que diga que Eduardo Cunha é corrupto. Ele não foi julgado e condenado", diz Brito; "Kimzinho, como tudo o que é vazio, quando mais fala menos se acredita no que ele diz"; leia íntegra (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Este rapaz – tem 19 anos, não é uma ofensa, portanto – do tal Movimento Brasil Livre, um dos factóides organizativos do movimento – este real – pela derrubada de Dilma Rousseff produziu um "milagre" com a entrevista que deu para a Folha.

Porque qualquer um que leia os comentários dos grandes sites, com leitores envenenados até a medula pelo facciosismo da mídia, sabe que, por lá, imperam os leitores mais cheios de ódio ao Governo, ao PT, à esquerda em geral e a qualquer coisa que, mesmo de longe, lembre reclamos por justiça social.

Kim Kataguri conseguiu a proeza dificílima de ser criticado e ridicularizado por uns 80% destes comentaristas.

E, se não foi por "antiguidade", certamente foi por "merecimento".

Não se tira uma ideia original da entrevista, nem mesmo um momento em que se perceba os sentimentos libertários, utópicos, generosos que marcam – felizmente! – a juventude.

De original, mesmo, só a defesa de Eduardo Cunha. Para ele, "não tem uma prova que diga que Eduardo Cunha é corrupto. Ele não foi julgado e condenado".

Certo, mas para Dilma, Lula, etc, não precisa ter. Já são corruptos e pronto.

Figuras assim, aparecem e somem de acordo com quem a mídia convém promover.

Não acho que um jovem, aos 19 anos, seja incapaz para ter ideias e ação política. Eu tive, não poderia achar o contrário.

Mas é patético dizer que, se não fosse criança na época (na época?) poderia ter pedido a saída de Lula e de FHC.

Coisas de criança mal educada são mesmo estas de "quebrar tudo", inclusive o voto popular.

A questão essencial é o "se achar" , dizendo que o que o diferencia é que "a gente tem pautas propositivas. A gente apresenta soluções.

Fui ver quais, no manifesto do MBL.

"Imprensa Livre, Liberdade Econômica, Separação de Poderes, Eleições Livres e Idôneas, e Fim dos Subsídios Direitos (sic) e Indiretos a Ditaduras."

Pauta propositiva? Soluções? Francamente...

Só se for a frase "somos sociais", seja lá o que isso queira dizer.

Kimzinho, como tudo o que é vazio, quando mais fala menos se acredita no que ele diz.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247