Tijolaço: quer ver como é o parlamentarismo? Olhe Temer e o Centrão

Jornalista Fernando Brito diz que as declarações de dirigentes do PP e do PSD sobre a relação fisiológica com o governo de Michel Temer ilustra como seria o sistema parlamentarista no Brasil, como quer o PSDB; "Dizem que vão parar as votações econômicas na Câmara se Michel Temer não redistribuir os doces do Governo segundo o 'bom comportamento' dos meninos parlamentares. Dizem 'na lata', sem medo de serem fisiológicos: 'É isso que precisa ficar claro. É cargo que faz ter essa calmaria política, se for, resolva o problema dos cargos. Não, são as emendas impositivas. Resolva as emendas impositivas', disse Marcos Montes, do PSD"

Jornalista Fernando Brito diz que as declarações de dirigentes do PP e do PSD sobre a relação fisiológica com o governo de Michel Temer ilustra como seria o sistema parlamentarista no Brasil, como quer o PSDB; "Dizem que vão parar as votações econômicas na Câmara se Michel Temer não redistribuir os doces do Governo segundo o 'bom comportamento' dos meninos parlamentares. Dizem 'na lata', sem medo de serem fisiológicos: 'É isso que precisa ficar claro. É cargo que faz ter essa calmaria política, se for, resolva o problema dos cargos. Não, são as emendas impositivas. Resolva as emendas impositivas', disse Marcos Montes, do PSD"
Jornalista Fernando Brito diz que as declarações de dirigentes do PP e do PSD sobre a relação fisiológica com o governo de Michel Temer ilustra como seria o sistema parlamentarista no Brasil, como quer o PSDB; "Dizem que vão parar as votações econômicas na Câmara se Michel Temer não redistribuir os doces do Governo segundo o 'bom comportamento' dos meninos parlamentares. Dizem 'na lata', sem medo de serem fisiológicos: 'É isso que precisa ficar claro. É cargo que faz ter essa calmaria política, se for, resolva o problema dos cargos. Não, são as emendas impositivas. Resolva as emendas impositivas', disse Marcos Montes, do PSD" (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Quem quiser ter uma ideia do que seria o parlamentarismo no Brasil, leia a reportagem da Agência Estado  com dirigentes do PP e PSD produzida pelo Estadão.

Dizem que vão parar as votações econômicas na Câmara se Michel Temer não redistribuir os doces do Governo segundo o “bom comportamento” dos meninos parlamentares. Dizem “na lata”, sem medo de serem fisiológicos:

“É isso que precisa ficar claro. É cargo que faz ter essa calmaria política, se for, resolva o problema dos cargos. Não, são as emendas impositivas. Resolva as emendas impositivas”, disse Marcos Montes, do PSD.

A chantagem é clara, explícita, obscena:

 Se chegar (uma segunda denúncia) num cenário desses, é o fim da linha para o presidente”, afirmou ao Estadão/Broadcast o líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL), ruralista como o colega e habitante da Operação Taturana, que apurou a ação de uma quadrilha se apropriava de recursos da Assembleia de Alagoas, através de sua folha de pagamentos, com a inclusão de funcionários fantasmas e laranjas.

Mas isso não vai ficar assim. Com o “distritão”, vai mandar a “nobreza de província” e aí a coisa fica mais clara.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247